Início Destaques

Rede de distribuição de gases medicinais no antigo PS do Melhado está irregular

José Carlos Porsani e Jéferson Yashuda, desta vez acompanhados por Elias Chediek, continuam fiscalizando obras do Centro de Estabilização do Melhado e constataram a irrregularidade

448
Vereadores fiscalizando andamento das obras de reforma e adequação do antigo PS da Vila Melhado

Dando continuidade ao trabalho de fiscalização das obras do Centro de Estabilização do Melhado, os vereadores José Carlos Porsani e Jéferson Yashuda (ambos do PSDB), desta vez acompanhados pelo vereador Elias Chediek (MDB), estiveram na terça-feira (7) vistoriando o andamento das obras e averiguando as mudanças necessárias em decorrência dos Requerimentos de números 520/2020 e 532/2020, apresentados por Porsani e Yashuda no mês de maio.

Nos documentos, foram solicitadas informações sobre todo o andamento da obra, desde o edital até a fase atual, pois os parlamentares receberam denúncias de uso indevido de materiais que deveriam ter sido descartados, como vasos sanitários, portas e batentes, além de outros itens.

Durante a visita, os vereadores puderam verificar que vários itens estão em processo de compra e troca dos mesmos, além de constatar o andamento das obras, que deverão ser entregues com aproximadamente 15 dias de atraso em relação ao prazo estabelecido em edital. Também foram informados de que o antigo engenheiro responsável pela obra foi demitido no final do mês de junho e o atual engenheiro responsável assumiu no dia 1 de julho.

Foi apontado um possível problema com a instalação e execução da rede de distribuição de gases medicinais: a tubulação instalada não seria adequada ao prédio. A informação foi checada in loco e, após a visita, os parlamentares estiveram na Prefeitura para colocar a secretária municipal de Obras e Serviços Públicos, Anna Padilha, e o chefe de gabinete, Alan Silva, a par da questão.

“Durante a vistoria, uma das informações que pedimos e que já nos tinha sido passada em denúncia foi sobre a rede de gases medicinais. Aproveitamos que o novo engenheiro assumiu há uma semana e iria reavaliar o projeto, e pedimos para verificar a planta que nos foi apresentada e explicada em detalhes pelo executor da rede. Ficamos preocupados e levamos ao conhecimento dos responsáveis na Prefeitura, que pediram uma reavaliação”, pontua o vereador José Carlos Porsani.