Início Destaques

Uma luz ao retorno presencial das aulas, dinheiro para a saúde e água tratada

A coluna ZumZumZum continua de olho na greve dos servidores da Educação e dá uma olhada nos requerimentos encaminhados ao Executivo

36

Iluminando as ideias

A queda de braço entre Prefeitura e Sindicato dos Servidores, o Sismar, em relação ao retorno presencial das aulas, segue com novos capítulos e a greve continua. Em texto publicado em seu site, a entidade faz uma sugestão ao prefeito ao comparar o empenho do Executivo para a “modernização da iluminação pública” com o que poderia ser feito em empréstimo para pagar auxílio às famílias araraquarenses.

Se houvesse vontade política…

Em outras palavras, o Sismar quis dizer que, se houvesse vontade política da administração municipal, como a que houve para iluminar a cidade com luzes de led, quando a Prefeitura fez uma dívida de R$ 53 milhões com a Caixa, o município, com o mesmo valor, pagaria auxílio de R$ 600 para 7 mil famílias por um ano inteiro e ainda sobrava para comprar pacote de dados para os alunos poderem fazer aulas online.

Apenas uma comparação

No texto, o sindicato deixa claro que sabe que cada recurso tem sua destinação. “Sabemos que esse dinheiro, especificamente esse das lâmpadas, não pode ter destinação alterada, mas por que não fazer R$ 50 milhões em dívidas novas para pagar o auxílio para quem precisa, sem ter que mandar servidor para morte?”, questiona, apontando que nos três primeiros dias em atividade presencial, pelo menos onze servidores tiveram resultado positivo para covid-19.

Requerimento 1

Com a função de fiscalizar o Executivo, vereadores encaminham requerimentos solicitando informações. Em janeiro, Marcos Garrido (Patriota) perguntou sobre os recursos recebidos do Governo Federal para a saúde em 2020, incluindo valores repassados para combate e prevenção da pandemia e à Santa Casa. De acordo com a prefeitura, o total repassado para o Fundo Municipal de Saúde foi de R$ 127.832.941,98; entretanto foi disponibilizado R$ 121.759.281,08. E foram repassados à Santa Casa R$ 47.491.799,36.

Requerimento 2

Para o vereador João Clemente (PSDB), “água tratada é um direito de todos, e zelar pela qualidade da água é um dever de todos”, enfatiza. Em 17 de março, o parlamentar pediu informações acerca da condição e da qualidade da água tratada pelo município, principalmente em relação à detecção da presença de substâncias e resíduos, como detergentes, sabões e óleos comestíveis. Aguardamos as respostas! Tim Tim! Saúde!