Início Política

“Vamos parar a Educação, de forma organizada”, afirma Edinho

Prefeito anuncia que Comitê de Contingência do Coronavírus debaterá a suspensão de aulas nas unidades municipais, porém de forma organizada, com criação de rede de atendimento à merenda e às mães que não têm com quem deixar seus filhos

137

O prefeito Edinho iniciou sua agenda desta terça-feira (17) fazendo uma avaliação da situação do novo coronavírus e explicando as medidas que estão sendo adotadas para a contenção da transmissão da doença na cidade; até este dia 17 de março, são 6 casos suspeitos de coronavírus em Araraquara e nenhum caso confirmado.

“Não tenho dúvida de que estamos diante de uma situação gravíssima, mas precisamos passar por isso de forma equilibrada. O coronavírus vai chegar na cidade, porque o ritmo de transmissão é acelerado em São Paulo e nós somos um polo regional; as pessoas transitam e viajam para o exterior. Mas as medidas têm que ser racionais e organizadas”, defende o prefeito, que no último domingo (15), em reunião com o secretariado, decidiu criar um Comitê de Contingência do Coronavírus da Prefeitura. A portaria instituindo o Comitê está sendo publicada nesta terça-feira, em Atos Oficiais.

Uma das medidas que estão sendo definidas é a paralisação da rede municipal de educação, que deverá ser feita a partir da próxima semana, após a criação de uma rede de atendimento à merenda escolar e de atendimento às mães que não têm com quem deixar seus filhos.

“Evidente que vamos parar a rede municipal de ensino, assim como o Estado e a rede privada estão fazendo , mas é preciso que haja organização. Estamos nos reunindo hoje com as equipes de educação para darmos um retorno às mães, porque temos crianças que se alimentam na escola e também temos mães que precisam de uma rede de acolhimento, porque não têm onde deixar seus filhos e precisam trabalhar”, aponta Edinho. “Tudo está sendo combinado. A educação infantil é até mais complicado, porque as crianças são menores, mas também estamos organizando a educação fundamental, para que possamos manter um sistema de atendimento à merenda escolar e organizar o transporte dessas crianças. Até o final desta semana vamos explicar como todo esse processo vai funcionar”, garante ele, informando ainda, em resposta a reclamação de falta sabonete em unidades escolares, que a empresa responsável pelo fornecimento do produto já foi acionada e alertada para que não deixe faltar sabonete em nenhuma unidade.

Edinho também informou que a Prefeitura preparando um sistema de atendimento aos idosos, que estão no grupo de risco do coronavírus. “Vamos anunciar medidas para a saúde, com foco no idoso, que é a população mais vulnerável na atual situação. Estamos organizando o atendimento, traçando inclusive como será o trabalho dos Agentes de Saúde e vamos criar um sistema de solidariedade nos bairros. Os vizinhos sabem quem são os idosos mais vulneráveis, quem precisa de ajuda para fazer uma compra no supermercado ou na farmácia. Queremos estimular esta rede de solidariedade.”

Impactos na economia

O prefeito Edinho também avaliou o impacto do coronavírus na economia e anunciou medidas que estão sendo adotadas a partir desta semana no município, diante de denúncias de aumento abusivo de preços no comércio local.

“Estou colocando os fiscais do Procon nas ruas, porque é inaceitável a remarcação de preços que está ocorrendo. As pessoas não podem querer ganhar dinheiro diante desse problema. Também não tem sentido estocar alimentos em casa, porque não há quadro de desabastecimento atualmente. Estamos desorganizando a sociedade e a economia, sem necessidade. É preciso agir com racionalidade, sem pânico para não desorganizar a prestação dos serviços”, destaca.

Para o prefeito, a previsão é de uma crise econômica sem precedentes, com grande impacto na vida das pessoas. “São muitas incertezas e os especialistas que estão estudando o corovírus na Europa avaliam que, quando parar, tem que ser para 45 a 60 dias. É muito tempo. Temos que entender que vamos ter profissionais liberais sem remuneração, empresas sem faturamento, ou seja, a desaceleração total da economia”, alerta.

Por isso, de acordo com o prefeito, as decisões devem ser tomadas mediante diálogo e muita organização.  “Temos que evitar o desespero e também o descaso. O desespero vai desorganizar a sociedade, desorganizar a prestação de serviço de atendimento na saúde e a rede hospitalar. E tudo isso vai provocar o crescimento acelerado dos casos. Também não podemos olhar a situação com descaso, porque não é verdade que se trata de uma simples gripe, que não vai nos afetar. Precisamos seguir o protocolo de higiene e de distanciamento social, evitando a aglomeração de pessoas, porque tudo é importante para evitar o crescimento do vírus. Mas tudo deve ser feito com organização. Precisamos entender é que o coronavírus veio e vai ficar entre nós, da mesma forma que a Influenza e o H1N1 chegaram e ficaram. Vamos ter surto algumas vezes e vamos ter que aprender administrar o coronavírus”, enfatiza Edinho.

 “Eu peço um voto de confiança da população. Nos deixem conduzir o processo, porque estamos focados 24 horas por dia na situação, fazendo reuniões com autoridades da saúde. Não estamos agindo de forma displicente, estamos agindo com muita seriedade. Agora não é hora de disputas políticas, é hora de unirmos nossas forças”, finaliza o prefeito Edinho.

Confira a entrevista que o prefeito Edinho concedeu hoje, dia 17 de março

https://www.facebook.com/EdinhoSilvaAraraquara/videos/2590004441128550/