Início Saúde

SP registra segunda morte de criança nesta semana por coronavírus

Menor residia na capital, tinha apenas um ano e comorbidades; é a 5ª vítima infantil da COVID-19 no estado em menos de um mês

24
Nesta quinta (14), há 9,9 mil pacientes internados em São Paulo

O estado de São Paulo registra, nesta quinta-feira (14), a segunda morte de criança infectada pelo novo coronavírus nesta semana. A vítima infantil residia na capital, tinha apenas um ano e apresentava comorbidades. Outras quatro crianças já faleceram com COVID-19 no estado, todas na Grande São Paulo.

A primeira era uma bebê de sete meses da cidade de São Paulo, conforme divulgado em 25 de abril. A segunda, de um ano, também residia na cidade de São Paulo. A terceira era de Penápolis, com nove anos. A quarta foi confirmada nesta segunda-feira (11), tinha 4 anos e morava em Francisco Morato.

A letalidade entre crianças, hoje, é de 0,8%, quase oito pontos percentuais a menos que entre idosos, faixa em que o índice é de 8,5%. No total, hoje são 4.315 mortes relacionadas à COVID-19, com 197 confirmações nas últimas 24 horas.

Já são 54.286 casos confirmados da enfermidade, com uma ou mais pessoas infectadas em 443 municípios, o que representa 68% do território estadual. Em 196 das cidades, há registro de uma ou mais vítimas fatais. Entre o total de casos, 589 tinham menos de dez anos.

Nesta quinta (14), há 9,9 mil pacientes internados em São Paulo, sendo 3.884 em UTI e 6.110 em enfermaria.  A taxa de ocupação dos leitos de UTI reservados para atendimento à COVID-19 é de 69% no estado de São Paulo e de 85,5% na Grande São Paulo.

PERFIL DA MORTALIDADE

Entre as vítimas fatais, estão 2.552 homens e 1.763 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 73,1% das mortes. Observando faixas etárias subdividas a cada dez anos, nota-se que a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (1.047 do total), seguida por 60-69 anos (987) e 80-89 (837). Também faleceram 283 pessoas com mais de 90 anos.

Fora desse grupo de idosos, há também alta mortalidade entre pessoas de 50 a 59 anos (611 do total), seguida pelas faixas de 40 a 49 (315), 30 a 39 (181), 20 a 29 (37) e 10 a 19 (12), e cinco com menos de dez anos.

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (58,9% dos óbitos), diabetes mellitus (43,8%), doença neurológica (11,4%), doença renal (11%) e pneumopatia (9,9%). Outros fatores identificados são imunodepressão, obesidade, asma e doenças hematológica e hepática.

Esses fatores de risco foram identificados em risco: 3.474 pessoas que faleceram por COVID-19 (80,5%) do total.