Início Seu Pet

Animais de estimação podem comer ovo?

Rico em proteína, ele pode ser inserido na alimentação de cães e gatos para uma dieta saudável

52
Ovo faz bem para cães e gatos, porém é preciso observar se eles têm alergia ou problemas renais ou hepáticos

O ovo favorece a beleza e a saúde da pele e da pelagem, reduz consideravelmente a queda de pelos, graças ao alto teor de proteínas de alto valor biológico, proporciona nutrientes que protegem as articulações, aumenta naturalmente a imunidade,  é livre de conservantes, corantes, flavorizantes e outros aditivos artificiais, reduz o risco de formação de cálculos urinários e infecção urinária, em função do alto teor de umidade, ajuda a manter o peso ideal e a massa magra naturalmente, favorece a produção de células vermelhas do sangue e traz muito mais disposição e vitalidade.

Porém, caso o animal sofra de alteração nas funções renal ou hepática, a proteína deve ser ajustada e o ovo poderá não ser indicado, bem como em casos de alergia, intolerância ou sensibilidade a algum componente do ovo. Por isso, é importante consultar um veterinário.

O mais natural e saudável é oferecer o ovo sem sal e temperos. Pode ser servido como petisco, misturado à refeição completa ou à ração, ou como fonte proteica em substituição às carnes, atendendo à preferência e à individualidade do animal. O ideal é oferecer sempre clara e gema juntos; os nutrientes se complementam: a clara é rica em proteínas e a gema em lipídeos.

A literatura pontua que se pode oferecer ovo cru ou cozido aos animais. O ovo inteiro cru com casca apresenta ótima proporção de fósforo e cálcio. No entanto, vale lembrar, que o ovo cru apresenta alguns riscos, como uma enzima chamada avidina, que reduz a absorção da biotina (vitamina B) e que pode levar a problemas de pele e também o risco de conter a Salmonella, bactéria que pode causar doenças.

Por isso, quando for escolher a técnica dietética do pet, se ovo cru ou cozido, o ideal é consultar sempre um veterinário especialista em nutrição animal natural, que poderá desenvolver um plano alimentar seguro, respeitando as características individuais e nutricionais ideais.