Início Agronegócio

Gilmar Argiona será homenageado no Dia do Agricultor

81
Gilmar Argiona, um dos produtores rurais a ser homenageado no Dia do Agricultor

Nascido no bairro do Sumaré em São Paulo, Gilmar Argiona aprendeu a conviver com o campo nos anos 80. Até então, com 25 anos de idade e proprietário de pelo menos três postos de gasolina, dividia a responsabilidade do cotidiano com o primo Lindomar Argiona Lescovar.

Ele conta que o falecimento do pai Florival Argiona que era construtor, praticamente mudou os seus planos. A família então, que já era proprietária da Fazenda Coqueiro em nosso município, decidiu vendê-la e criar a Fazenda F.A – siglas que identificam o nome de Florival Argiona. Cerca de 112 hectares aos poucos foram se transformando em uma cultura citrícola e a produção hoje supera 120 mil caixas anualmente.

Só que a adaptação com Araraquara não foi nada fácil, pois paulistano nato teve que alterar completamente seu ritmo de vida, assimilando os costumes do interior. Voltar nem pensar pois vendera os postos de gasolina em São Paulo e aplicara grande parte dos recursos  na propriedade em Araraquara: era um período também que a produção da laranja passava por transformação.

O futebol que ele tanto gostava lhe deu então essa proximidade com as pessoas e ao tornar-se associado do Clube Araraquarense, foi convencido pela esposa Fran Palazzi Argiona a permanecer na cidade, vivendo hoje os novos tempos que lhes são proporcionados pelas filhas Vanessa, Andressa e Larissa, todas casadas.

“Hoje sinto-me extremamente feliz em viver aqui, pois as amizades criadas com o futebol que adorava jogar, me convenceram a ficar na cidade; elas ainda permanecem e com o passar do tempo, o mundo agrícola me levou a participar das atividades do Sindicato Rural e um outro círculo de amizades se estabeleceu para fortalecer este vínculo com Araraquara”, assegura.

Integrado à diretoria do sindicato em várias gestões, Gilmar Argiona – nascido em 25 de abril de 1956 – por sua visão administrativa e empreendedora herdada do pai Florival, sente-se grato à cidade que o acolheu: “Veja, a influência das pessoas na minha atividade por conta do que faço como produtor, da interação que existe quase que diariamente, do companheirismo ao pertencer a uma classe e do círculo de amizades  que a família criou com o passar do tempo, se solidifica e passa a exercer uma influência muito grande em nossa vida”, afirma Gilmar.

Em linhas gerais, isso exprime seu agradecimento ao receber a homenagem que lhe é feita; já por parte do sindicato, homenagear Gilmar, significa reconhecer o expressivo trabalho dedicado à entidade.