Início Artigo

Portal da Transparência: vim aqui para confundir não para explicar

Por Ivan Roberto Peroni

49

Não é de hoje que críticas são feitas a forma com que a Prefeitura Municipal de Araraquara disponibiliza informações em seu Portal da Transparência. É evidente que nem todos encontram facilidades para primeiro terem em mãos dados que esclareçam o que o pesquisador necessita; segundo, informações didáticas impedem uma análise mais profunda. O que o pesquisador encontra então é dificuldade e não facilidade.

Sabemos que o objetivo principal dessas iniciativas, ao permitir o livre acesso à infraestrutura de informação do gestor municipal, estadual ou federal, é proporcionar ferramentas para que a cidadania seja exercida de modo mais efetivo. Então sob tal premissa, embora um portal de transparência afirme disponibilizar um conjunto extenso e abrangente de informações, também é plausível considerar que as condições de infraestrutura de informação e de interface homem-computador, nas quais um portal web pode ser categorizado, atuem de modo decisivo sobre o livre acesso a tais informações.

Mas não é assim que funciona. Tecnicamente, um portal está mais para esconder informações do que mostrar informações. Não estamos apontando ou dizendo que o portal da transparência da Prefeitura de Araraquara seja omisso, negligente, imprudente. Absolutamente. O que a gente quer dizer é que sua complexidade interpretativa vai além do conhecimento daquele que procura a informação.

Se para nós, leigos no assunto, melhor seria entender que dois mais dois são quatro, logo veremos que para entendermos com clareza, a soma dos quatro é atropelada por tantas outras contas que na metade do caminho o pesquisador resolve desistir. Assim, dá-se a impressão que o objetivo é confundir, criar dúvidas, impedir o acesso ao entendimento, consequentemente o que seria mais prático torna-se irremediavelmente complexo.

E nós jornalistas que precisamos e olhamos um portal de transparência sempre o fazemos com algum interesse específico em alguma coisa e nós na maioria das vezes encontramos dificuldades na interpretação, pois os portais não expressam essa facilidade, não permitem uma leitura clara, objetiva de que entraram 10, sairam 5 para fulano, 3 para ciclano e assim vai. Um portal da transparência tem a missão de mostrar informações das contas da administração pública, ou seja, receita e despesas e serve para as pessoas conhecerem as metas e acompanhando o que está acontecendo com o dinheiro público. Para quem não sabe, é garantido a nós, cidadãos, que tenhamos pleno acesso as contas do governo, seja ele em nível estatal ou nacional, até mesmo os gastos e despesas da nossa cidade.

Temos que dizer: um Portal tem o objetivo de deixar as contas, todos os gastos públicos com controle e transparência a vista daqueles que têm interesse em saber para onde vai o dinheiro dos impostos pagos mensalmente. Mas a reclamação é da maneira “difícil” de mexer.

Isso nos faz lembrar de Abelardo Barbosa, o Chacrinha que em uma de suas tiradas dizia – eu vim aqui para confundir não para explicar. É assim que funciona o nosso Portal da Transparência. E assim caminha a humanidade.

*Ivan Roberto Peroni, jornalista e membro  da ABI, Associação Brasileira de Imprensa

**As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do RCIARARAQUARA.COM.BR