Início Artigo

O famigerado pedágio de Araraquara

Por Wagner Tadeu Silva Prado

50

Recentemente, a região acompanhou atenta a possibilidade da implantação de um novo pedágio na Rodovia Washington Luís, entre as cidade de Araraquara e Ibaté. Audiências públicas foram realizadas, tanto pela ARTESP, como pela Câmara Municipal.

Na primeira, a agência reguladora tentando convencer sobre a importância da região, seu crescimento econômico e da necessidade do pedágio para melhorias na rodovia. Na segunda, vereadores e a população araraquarense, ibateense e são-carlense lutando contra mais uma facada nas costas a ser dada pelo governador Doria para nossa região.

Analisei atentamente o atual contrato de concessão da região Noroeste do estado, que abrange as macro cidades de Araraquara, Barretos, Borborema, Jaboticabal, Matão, Olímpia, Parapuã, Penápolis e São José do Rio Preto.

Nele, contava a construção de dois novos pedágios durante a concessão que se encerra no início de 2022. O pedágio de Taiúva e o de Dobrada. Ambos já foram construídos. Porém, em Araraquara, no contrato atual, NÃO há previsão de novo pedágio.

Acredito que no novo edital de concessão, previsto para o início de 2022, deva ser lançada goela abaixo essa previsão. Já solicitei à ARTESP o novo edital para analisar em detalhes seus termos e lutarmos juntos, bravamente, para que o pedágio não seja instalado aqui, pois, se isso ocorrer, ficaremos ainda mais ilhados, afugentando novas empresas que queiram aqui investir.

E se isso ocorrer, a cidade vai estagnar, empregos não serão gerados na mesma proporção de hoje sem pedágio. E quem se dará bem será apenas o governo estadual e o consórcio vencedor do futuro leilão.

Fiquemos de olhos bem abertos para não sermos ainda mais prejudicados.

*Wagner Tadeu Silva Prado é Coronel da Reserva da Polícia Militar do Estado de São Paulo, mestre e doutor em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública, bacharel em Direito e foi candidato a vice-prefeito do Dr. Lapena nas eleições de 2020 pelo Partido Podemos.

**As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do RCIARARAQUARA.COM.BR