Início Artigo

O legado das guerreiras do agronegócio

Por Maria Emília de Oliveira Souza Taddei

178

Iniciamos hoje o mês de março, esse no qual 100 anos atrás, em 1921 no dia 08 especificamente, instituiu-se o dia Internacional da Mulher, em memória àquelas, que empreenderam as primeiras lutas por direitos das mulheres e que ainda hoje nos motivam a conquistarmos o nosso espaço, livre da violência em todas as suas manifestações e com igualdade entre todos e todas.

Nós somos a versão atualizada, as herdeiras do legado de lutas dessas guerreiras, que compreenderam a importância de se unirem em torno de um objetivo comum, para se fortificarem e a partir delas, todas nós vimos mostrando, que somos mulheres capazes de questionarmos, analisarmos, argumentarmos.

Temos nossos próprios desejos e sabemos estabelecer limites, não somos manipuladas ou chantageadas, não engolimos culpa.

Nós assumimos responsabilidades!!!

Nós estudamos, nos informamos. Nós ainda não estamos satisfeitas e continuamos avançando. (lembrando de Gabriel Garcia Marques em seu texto: “Mulheres Inteligentes”).

Não precisamos pedir permissão pra ninguém, porque não temos líder!

Temos companheiros, parceiros de trabalho, amigos, família, com quem dividimos, lado a lado, nossas conquistas, nossas dificuldades. Expressamos nossas alegrias e tristezas, nossos medos, nossa raiva. Enfim somos humanas, somos mulheres, que sabemos o que queremos e estamos aqui hoje nos manifestando, de novo publicamente, pra convidar outras mulheres a empreenderem suas jornadas particulares, para poderem realizar suas aspirações.

Não é um caminho fácil, muitas vezes encontramos desafios, que parecem ser imensamente maiores, que as forças que temos  para vencê-los. Mas, agora, há uma grande diferença: não é uma ou outra mulher batalhando sozinha pra marcar o seu lugar e se estabelecer, somos o grupo Mulheres do Agro Araraquara e juntas somos muuuito mais fortes e podemos realizar o que quisermos.

Acreditamos que conhecer histórias e jornadas de mulheres que hoje estão e são do agro, pode ser um processo transformador, por que ao  contarem as suas experiências, que deram certo e aquelas, que não frutificaram, elas nos indicam caminhos, nos inspiram, nos dão coragem para mudarmos o que for preciso, pra nos tornarmos melhores como pessoas e naquilo que fazemos.

Apresentaremos pelo Facebook e YouTube da RCIA – Revista Comércio Industria e Agronegócio, que sempre nos cede espaço pra nos manifestarmos, uma série de entrevistas com Mulheres do Agro Araraquara, que vai mostrar quais os caminhos que elas percorreram pra chegarem  onde estão hoje e pra onde querem ir.

Esperamos que todas aquelas que assistirem à apresentação das nossas histórias tenham a oportunidade de refletirem sobre elas e então, se quiserem, terão nossa companhia e apoio pra transformarem suas vidas e ingressarem no Universo da Mulher Agro, como nós fizemos!!!

É um prazer imenso participar desse grupo, que foi criado pela Anna Paula Nunes, que partilha conosco sua paixão pelo agro e por isso mesmo nos inspira a seguirmos adiante no mesmo caminho.

*Maria Emília de Oliveira Souza Taddei, é empresária do agronegócio e integrante do Grupo Mulheres do Agro Araraquara

**As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do RCIARARAQUARA.COM.BR