Início Artigo

Voam penas no tucanato: fujam para as colinas

Por Suze Timpani

293

Embora José Carlos Porsani tenha se desfiliado do PSDB no dia 6 de janeiro, para assumir a Secretaria de Meio Ambiente, pouco adiantou. Não teria como pegar bem, diante da oposição que fazia questão de demonstrar na Câmara, evidente que ao final escorregou para o lado do Executivo, e não foi esta a única vez.

O prefeito Edinho Silva deixou claro que polêmicas em relação aos seus escolhidos, seriam encaradas como manifestação de ódio. “A eleição acabou em 15 de novembro. É momento de unirmos a cidade para chegarmos aos nossos objetivos. Estamos juntos com a população de Araraquara enfrentando esse momento difícil. Nosso governo não tem ódio, não tem intolerância, não estimula a violência”, ressaltou o articulador nato.

E nesta pegada, cria seu próprio Chico Mendes, o ambientalista das seringas, Porsani o farmacêutico. Espero que esqueça os supositórios.

O tucano Sérgio José Pelícolla, apoiado por Roberto Massafera que estava sentado na primeira fileira do Centro de Convenções para assistir a posse bem articulada, levou a Secretaria de Obras Públicas, apesar das penas voarem no tucanato. Eu já havia adiantado há duas semanas que isto estava sendo articulado, e aguardem que vêm mais novidades por aí.

Já Marco Vinholi – Secretário de Desenvolvimento Regional e Presidente do PSDB do Estado de São Paulo, tido como “tucano mor”, diz que o partido é independente, mas que está na construção nacional de um campo democrático para 2022 em defesa da democracia. Nesse campo cabem todos que são contra o autoritarismo representado por Bolsonaro. E que deste modo a direção do partido não irá perseguir a contribuição de filiados do PSDB no governo municipal. “Apoiaremos as ações em prol da cidade, acima das divergências programáticas”.

Como se estivéssemos com uma eminente ditadura batendo em nossas portas e os guardiões, guerreiros de nossa torre, fossem Pelicolla e Porsani. “Fujam para as colinas senhores”.

Demonstrando ser aglutinador, Edinho Silva constrói aos poucos, tijolinho por tijolinho seu castelo, mas nem todos estão interessados em ser mestre de obras em uma construção que só fortalecerá o Partido dos Trabalhadores.

Com a marreta na mão está o vereador Rafael de Angeli, que não se conforma em ser o cordeiro servido na ceia, onde sabe que pode ser devorado por 400 talheres, e neste quesito não vai sobrar pena sobre pena, pode facilmente bater asas do ninho.

Sua visão é de independência até mesmo do partido. Embora tentem passar união, está claro um racha na social democracia. Para a próxima eleição da Executiva local alguém vai se enquadrar no novo normal.

Tanto Edna Martins – presidente do PSDB Mulher e Jorge Bedran – presidente do diretório local, afirmam que a posição é uma só “Independência do partido e que filiado que foi para o governo o fez em nome próprio, sem a chancela do diretório municipal”.

O cenário está posto, só não vê quem não quer. Política é construção, Pelícolla que o diga (aguardemos as obras públicas) é claro que estão se fortalecendo para campanhas em 2022, a já combalida direita que deitou em berço esplendido após as eleições, continua descansando a beleza e gritando em rede social, acordaram tarde, Porsani é o chefe do Greenpeace da Morada. Só o selo Verde Azul salva e olhe lá.

“Que nossos atos, deixem sempre uma pegada verde no caminho”.

*Suze Timpani, jornalista do RCIA

** As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem,necessariamente, com as do RCIARARAQUARA.COM.BR