Início Cidade

15 cidades com câmpus da Unesp têm casos confirmados de Covid-19

Câmpus de Presidente Prudente mapeia rotas de dispersão do vírus pelo interior paulista. Araraquara, que mantém unidade da universidade aparece no mapa.

58
Faculdade de Farmácia em Araraquara

Os casos de Covid-19, causada pelo novo coronavírus, o SARS-CoV-2, indicam um avanço da pandemia em direção ao interior do Estado de São Paulo, segundo informe oficial divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) neste domingo (5).

No total, 99 municípios paulistas possuem ao menos um caso confirmado da doença. Das 24 cidades em que a Unesp está presente, 15 delas têm caso confirmado: Araraquara, Araçatuba, Assis, Bauru, Botucatu, Dracena, Franca, Jaboticabal, Marília, Rio Claro, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, São Vicente e Sorocaba.

O boletim deste domingo informou a confirmação da primeira morte em Bauru. Os óbitos se concentram em 33 cidades, a maior parte delas na região metropolitana de São Paulo. As regiões fora da Grande São Paulo que já registraram ao menos uma vítima fatal são as regiões de Araçatuba, Ribeirão Preto, Campinas, Baixada Santista, Presidente Prudente e Sorocaba.

O Estado de São Paulo contabiliza até o momento 4.620 casos confirmados e 275 mortes. Aqui cabe um esclarecimento: os boletins oficiais da Secretaria de Estado da Saúde levam em conta apenas os testes realizados dentro da rede oficial de laboratórios credenciados. Testes feitos fora deste universo necessitam de contraprova na rede oficial.

“Somente após a contraprova positiva pelo laboratório de referência e a notificação do caso à Vigilância Epidemiológica dos Estados é que o caso entra na contagem oficial da Secretaria de Estado da Saúde e, na sequência, na do Ministério da Saúde”, explica a médica Ludmila Braga, presidente do Comitê Unesp Covid-19. “Por isso, é fácil de perceber que existe um atraso entre aquilo que vemos nos municípios e o que aparece nos boletins oficiais. Então a lentidão na confirmação laboratorial dos casos e a subnotificação são obstáculos a serem superados”, diz.

RADAR COVID 19

No boletim epidemiológico do Ministério da Saúde divulgado na última sexta-feira sobre o avanço da Covid-19 no país, houve um alerta em relação à aceleração da doença em algumas unidades federativas, entre as quais o Estado de São Paulo, cujo coeficiente de incidência está em 9,7 casos por 100 mil habitantes, acima do coeficiente nacional de 4,3 casos por 100 mil habitantes. O ministério classificou como “preocupante” a situação do Distrito Federal, de São Paulo, Ceará, Rio de Janeiro e Amazonas, que apresentam os maiores coeficientes.

“Nesses locais, a fase da epidemia pode estar na transição para fase de aceleração descontrolada”, pontua o texto do boletim epidemiológico de 3 de abril.

Para acompanhar as rotas de dispersão do novo coronavírus em São Paulo, em especial no interior paulista, um grupo de pesquisadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) da Unesp, no câmpus de Presidente Prudente, está lançando uma iniciativa chamada “Radar Covid-19”, cujo um dos eixos é desenvolver um trabalho de mapeamento a partir dos registros oficiais de Covid-19.

“Em São Paulo, estamos mudando de fase”, pontua o professor Raul Borges Guimarães, especialista em Geografia da Saúde.