Início Cultura e Lazer

‘Estou muito orgulhoso com o resultado desse trabalho hercúleo’, diz Paulo Martelli

Disco "20 Estudos Populares Brasileiros para Violão", que resgata a obra do violonista Geraldo Vespar, ganha livro de partituras assinado pelo renomado instrumentista araraquarense

261
Geraldo Vespar e Paulo Martelli. (Foto: Divulgação)

No ano passado, um encontro de dois gênios do violão brasileiro, o araraquarense Paulo Martelli e o cearense Geraldo Vespar, foi eternizado (e externado) com o lançamento do CD “20 Estudos Populares Brasileiros para Violão”.

E, agora, em julho de 2021, nasce o segundo capítulo deste histórico colóquio: o lançamento do livro de partituras (songbook) do disco, a cargo da editora GuitarCoop. O material contou com a participação do copista Bruno Jasponte. Para ter acesso o material, clique aqui.

“Estou muito orgulhoso com o resultado desse trabalho hercúleo, que traz a público a obra deste compositor brasileiro tão importante. Gostaria de agradecer o Bruno pela dedicação e por realizar as partituras com perfeição, atendendo às inúmeras solicitações durante esses dois anos de trabalho. Não há outro melhor no Brasil”, comenta Martelli.

Extremamente atuante no panorama da música popular brasileira a partir da década de 1960, trabalhando com Elizeth Cardoso, Clara Nunes, Elza Soares e João Nogueira, entre outros, o guitarrista, violonista e Geraldo Vespar tem, hoje, 82 anos. O contato entre os dois ocorreu na década de 90, quando Martelli fazia seu mestrado na Juilliard School of Music.

Foi lá, que ele conheceu, pessoalmente, Vespar, que realizava seu doutorado na Manhattan School of Music. À época, o araraquarense convenceu o instrumentista a permitir a gravação de seus Estudos Populares Brasileiros e, já no ano de 2000, em um CD intitulado Roots, dois deles foram lançados.

POPULAR E ERUDITO

Vinte anos depois, o reencontro resultou em um trabalho fundamental para a música mundial. Mesmo recluso e com problemas de saúde, Vespar continou a compor até meados dos anos 2000. “Desde a década de 60, ele trabalha nessas partituras. Conhece o violão como poucos. São poemas e fotografias de uma das melhores e mais intensas épocas da música brasileira”, conta Martelli.

Capa do material. (Foto: Divulgação)

No material, os estudos são configurados como pequenas peças populares para violão a partir de ritmos, melodias, harmonias da Bossa Nova, MPB, escalas de acordes, modos, além de elementos diversos da estética sonoro-musical da música popular brasileira.

“Cada um deles é dedicado a um violonista brasileiro em uma ponte entre o popular e o erudito. Tenho certeza que muita gente vai passar a tocar esses estudos e creio que alguns deles vão se firmar no repertório”, finaliza Paulo Martelli.

PRATA DA CASA

“Um dos melhores de sua geraçāo” segundo a Soundboard Magazine e Guitar Magazine (EUA), Paulo Martelli (55) é talento raro como musicista e um produtor artístico atuante na divulgação do violão no Brasil. Iniciou os estudos musicais aos dez, com Francisco Brasilino e, em seguida com Henrique Pinto.

Especializou-se fora do país, recebeu prêmios e lançou diversos discos. Também é professor particular e na Escola de Música do Estado de São Paulo. Idealizou o projeto Movimento Violão em São Paulo, Ribeirão Preto e Araraquara.

(Por Matheus Vieira)