Início Cultura e Lazer

Há 90 anos, Villa-Lobos se apresentava em Araraquara

Concerto integrou projeto do artista que percorreu mais de 60 cidades dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná

128
O maestro Heitor Villa-Lobos esteve em Araraquara no início de fevereiro de 1931.

As primeiras edições do jornal O Imparcial, no início de 1931, informavam a vinda do maestro Heitor Villa-Lobos a Araraquara.

O concerto, que seria realizado no dia 4 de fevereiro daquele ano no antigo Teatro Municipal, foi transferido para o dia 6 (conforme noticiado em 3/2/1931). A apresentação integrava um projeto do artista que percorreu mais de 60 cidades dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

O jornal do dia 5/2/1931 informava na capa: “O maestro Villa-Lobos chegou ontem a Araraquara pelo comboio das 18h30, acompanhado de sua exma. senhora, tendo carinhosa recepção da sociedade araraquarense, que ali se fez representar pelo sr. Prefeito Dr. Infante Vieira”.

Sobre o músico, que ficou hospedado no Hotel Municipal, o redator escreveu: “Villa-Lobos não representa, na música brasileira, apenas o sentido de nacionalismo, esse grande mestre é também o modernismo mais palpitante, mais pessoal, mais inconfundível”.

No dia 6/2, Villa-Lobos foi destaque novamente na capa do jornal. A matéria previa que aquela noite ficaria marcada na memória de quem tivesse o prazer de assistir à audição. Os preços dos ingressos variavam: 30$000 (frisas); 25$000 (camarotes); 6$000 (cadeiras); 5$000 (balcões); e 2$000 (galerias); estudantes pagavam 2$500, que era a meia entrada dos balcões.

A matéria sobre o concerto, veiculada no dia 10/2, ressaltou a virtuosidade do maestro, em composições como “Canto de Nossa Terra”, “onde Villa-Lobos mostrou-se verdadeiramente brasileiro”. Destacava ainda a cantora Annita Gonçalves –“sente-se nela uma boa arte, uma boa voz”– e a pianista Antonieta Rudge. “Chopin… nos dedos de Antonieta, fez nos esquecer um pouco da rusticidade ainda pouco compreensível da música idealizada por Villa-Lobos, fechando com chave de ouro esta linda noitada de arte, que se não foi bem compreendida, valeu para nos fazer conhecer as bizarras revolucionárias da nova arte idealizada pelo gênio fulgurante de Villa-Lobos”.

O programa do concerto (publicado no dia 6/2/1931) era composto por:

1a parte

1 – violoncelo e piano

  1. Prelúdio número 2 (H. Villa-Lobos)
  2. Elege (H. Villa-Lobos)
  3. Gavotte – Scherzo de pequeno suíte (H. Villa-Lobos)

Heitor Villa-Lobos e Lucilia Villa-Lobos

2 – Canto e piano

  1. Pobre cega (H. Villa-Lobos)
  2. O Anjo da Guarda (H. Villa-Lobos)
  3. Trovas (Nepomuceno)

Annita Gonçalves e Lucilia Villa-Lobos

3 – Piano (solo)

  1. Gavoth (Beethoven)
  2. Tango (Al. Levy)
  3. Kracoviona Fantástico (Paderewsky)

Antonieta Rudge

2a Parte

4 – Violoncelo e piano

  1. Berceuse (H. Villa-Lobos)
  2. O Canto do Cisne (H. Villa-Lobos)
  3. O Canto de Nossa Terra (H. Villa-Lobos)

Heitor Villa-Lobos e Lucilia Villa-Lobos

5 – Canto e piano

  1. Gavião de Penacho (Fr. Braga)
  2. Saudades de Nossa Vida (Heitor Villa-Lobos)
  3. Japonesas (Heitor Villa-Lobos)

Annita Gonçalves e Lucilia Villa-Lobos

6 – Piano (solo)

  1. Estudo (Chopin)
  2. Polaca (Chopin)
  3. Polonaise (Chopin)
  4. Antonieta Rudge