Início Destaques

Cachorrinha foi queimada e jogada na linha do trem para morrer no Selmi Dei

O Bem Estar Animal conseguiu resgatar a cachorra após denúncia, estando ela muito debilitada, mas em tratamento

3500
A cadelinha foi resgatada pelo Bem Estar Animal

Na segunda-feira (16), uma criança de 12 anos foi obrigada a descartar uma cachorrinha totalmente queimada na linha do trem após insistência de uma mulher que mora com seu irmão no Selmi Dei, setor V em Araraquara. A criança não soube informar o que teria acontecido com a cachorra. Apenas que a mulher fez, com que ele levasse o animal para descarte. Ela teria acompanhado o garoto em baixo de chuva e com outra criança em um carrinho de bebê.

O garoto que estava aos cuidados desta mulher, enquanto sua mãe cuidava do pai que estava internado e teve alta nesta quinta-feira (19). Foi quando ele contou à mãe, em prantos, o que havia acontecido. Ele conta que a companheira do irmão, ficou na parte de cima e fez com que ele descesse até a linha do trem para deixar a cachorra, mas mesmo em carne viva, devido as queimaduras a cadela seguiu o garoto e parou em baixo de uma árvore, e eles foram embora.

Ao invés de pedir ajuda para o animal a tutora preferiu deixa-la agonizando

Na quarta-feira (18), uma denúncia chegou até o Centro de Zoonoses do Município, pedindo um resgate na Rua Paschoalino Palome Lepre, no Selmi Dei, setor V, onde havia um animalzinho todo queimado que necessitava de tratamento médico. O Bem Estar Animal, fez o resgate e cuida agora para que a cadelinha se recupere.

De acordo com a mãe do garoto, que denunciou após saber da história, chegando até mesmo a colocar as fotos da mulher nas redes sociais, está inconformada com o que aconteceu com o filho e com a cachorra. Segundo ela, já havia pedido a cachorra a essa mulher, pois ela não alimentava o animal, mas ela se negou a dar. A mãe do garoto é tutora da irmã da cachorrinha queimada, além de ter outros animais.

A fiscalização animal tentou fazer um boletim de ocorrência nesta madrugada contra a mulher que teria jogado o animal para morrer na linha do trem, mas não conseguiu, devido a delegacia estar atendendo outras ocorrências, mas nesta sexta-feira (20), a fiscalização está na delegacia na terceira tentativa de elaborar um B.O. para que a polícia investigue e puna a culpada pelo crime de maus tratos a animal.

Um crime como esse de tortura, maus tratos e abandono à própria morte agonizante, é levada como menor importância em comparação a qualquer outra coisa que esteja acontecendo nas delegacias. O que acaba desestimulando as pessoas a denunciar maus tratos aos animais. Vale ressaltar que denuncia se faz na delegacia e não em rede social.

LEI SANSÃO

Em 29 de Setembro foi sancionada a lei 1.095/2019  que aumenta a punição para quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais. Conforme a nova legislação, a pena agora vai de dois a cinco anos de prisão, além de multa e a proibição de guarda de novos bichos.

DELEGACIA ANIMAL

Infelizmente casos de maus tratos a animais que foram denunciados em 2018 ainda não foram solucionados e os indicados continuam sem pagar por seus crimes. Araraquara necessita de uma Delegacia Especializada na causa animal, para que crimes bárbaros como este que ocorreu nesta semana com a cadelinha queimada e deixada para morrer, não ocorra. O abando aos animais também cresceu em meio à pandemia, fazendo com que a proteção que atua na cidade, trabalhe dobrado.

O site do governo do Estado (DEPA) que deveria receber denúncias e tomar providências, não funciona, muitos denunciantes reclamam que nada foi feito sobre os casos que ali colocaram, sem contar que muitas vezes está fora do ar.