Início Cidade

Ensino em Período Integral em Araraquara causa tumulto entre pais de alunos e escolas

Alunos, pais e professores garantem que a transição não está sendo feita dentro das normas e irá prejudicar estudantes e docentes; transferências compulsórias estão ocorrendo nas unidades sem aviso prévio 

1063
Pais de alunos na porta da Escola procurando por informação. Foto - reprodução vídeo

A Diretoria Regional de Ensino de Araraquara informou que a decisão pelo ensino integral em Araraquara se deu após consulta a comunidade escolar por meio de reuniões virtuais com registro em ata. Onde aqueles que optaram pelo ensino integral, havendo disponibilidade, continuam na escola e, os que não quiserem permanecer, serão direcionados às escolas de ensino regular, que fiquem a menos de 2 quilômetros da residência.

De acordo com a Coordenadora do Ensino Integral do Estado de São Paulo Bruna Waitman, toda a transição do programa tem que ser transparente após consulta ao conselho representativo.

Em Araraquara já existem seis escolas com o Programa Ensino Integral que são:

  1. E.E. Joaquim Pinto Machado Junior (atende Ensino Médio)
  2. E.E. Prof. Urias Braga Costa (atende Anos Finais do Ensino Fundamental)
  3. E.E. Oacyr Antônio Ellero (atende Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio)
  4. E.E. João Batista de Oliveira (atende Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio)
  5. E.E. Pedro José Neto (atende Ensino Médio)
  6. E.E . Narciso da Silva César (atende Anos Iniciais do Ensino Fundamental)

Para 2021 o Secretário da Educação Rossieli Soares anunciou em novembro que mais 400 escolas da rede estadual passarão a fazer parte do Programa de Ensino Integral (PEI). O total de unidades que funcionam nesta modalidade vai aumentar de 364 em 2018, para 1.064 a partir de 2021, representando um crescimento de quase 300%.

São 400 novas escolas que vão começar a funcionar a partir de 1° fevereiro de 2021 em tempo integral. Em Araraquara para o próximo ano serão mais quatro:

  1. E.E. Léa de Freitas Monteiro (atenderá Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio)
  2. E.E. Vereador Carlos Roberto Marques (atenderá Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio)
  3. E.E. Professora Miryan Leopoldina Caramuru de Castro Monteiro (atenderá Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio)
  4. E.E. João Manoel do Amaral (atenderá Ensino Fundamental e Ensino Médio).

PROBLEMAS

Professores da Escola Estadual Léa de Freitas Monteiro, denunciaram que os tramites que deveriam ocorrer, não aconteceram. Professores foram avisados que as aulas noturnas seriam retirada da grade escolar, sem ao menos um aviso do prévio, tanto para professores como para alunos.

A escola que tem cerca de 600 alunos tem um gráfico de apenas 250 alunos avisados sobre a transição da instituição para período integral, sendo que de acordo com afirmação da Secretaria de Educação todas as fases foram realizadas e estão em ata.

Alunos dessas escolas mesmo aderindo ao período integral estão sendo remanejados para outras escolas, que muitas vezes ficam distantes de onde moram. O Portal RCIA questionou sobre este ponto, mas não houve resposta da Secretaria.

Professores que tem aulas em escolas do município terão que optar por transferência para escolas de ensino regular, ou permanecer no ensino integral.

Uma das professoras que falou ao Portal RCIA acredita que muitos pedirão a transferência, pois também tem aulas em outras escolas e que inclusive estão com receio de tirar vaga de outros professores na escola que chegarem. Quanto a isso a coordenadora Bruna Waitman, disse que não faltarão vagas aos professores transferidos.

Devido há alguns questionamentos não estarem esclarecidos pela Secretária de Educação, o deputado Douglas Garcia entrou com um requerimento pedindo informações sobre a Escola Estadual Professora Léa de Freitas Monteiro, localizada em Araraquara, onde questiona: “A escola em questão poderá manter a rotina dos alunos e professores da parte noturna que não queiram aderir ao Programa de Ensino Integral? Em caso negativo, qual alternativa a escola adotará? A Secretaria de Educação orientou as direções das escolas estaduais a comunicar os alunos e professores sobre os seus direitos no que tange à adesão ou não ao ensino integral?”

A Deputada Estadual araraquarense Márcia Lia, também entrou na defesa dos pais e alunos  e já conversou com o Secretário de Educação do Estado Rossieli Soares para resolver as transferências compulsórias dos alunos e a falta de comunicação das escolas com pais e alunos, que deram apenas explicações pela metade. Márcia também vai entrar em contato com a Coordenadora do Ensino Integral do Estado de São Paulo Bruna Waitman, para entender quais critérios foram usados para essas transferências.

Nesta tarde de quinta-feira (3), pais estavam reunidos na porta da Escola Estadual João Manoel do Amaral revoltados com a situação, onde Márcia Lia conseguiu falar com a diretora da unidade e de acordo com ela, problemas estão acontecendo em todas as escolas que passarão para o Ensino Integral. A vizinha Gavião Peixoto também passa pelo mesmo problema.