Início Destaques

“Minha candidatura é uma tribuna para o Fora Bolsonaro e todos os golpistas”, diz Tiago Pires

O PCO não admite a existência de candidaturas individuais. Todos os seus candidatos são candidatos do Partido e submetidos ao programa, à tática e à disciplina partidária nas eleições, onde a ambição individual tipicamente pequeno-burguesa deve ser combatida de maneira incansável dentro do Partido e denunciada em relação aos demais partidos de esquerda.

150
Tiago Pires, candidato a prefeito pelo PCO

Em mais uma entrevista da TV RCIA, com os candidatos a prefeito por Araraquara, nesta segunda-feira (26),  recebemos Tiago Pires, candidato pelo Partido da Causa Operária (PCO), que falou sobre os projetos do partido para a cidade e também a nível nacional.

Revolucionário, Tiago Pires acredita que as eleições são totalmente antidemocráticas, já que não há igualdade entre os partidos em relação a tempo na TV e rádio para expor suas idéias. O candidato que já participou de movimentos estudantis, diz que representa o Partido da Causa Operária, que defende a revolução e o comunismo.

De acordo com Tiago, ele se aproximou do PCO, quando aconteceu o golpe de estado contra a presidente Dilma Roussef em 2016. Milita também em uma corrente sindical “Bancários em Luta”, e no Coletivo de Negros da causa operária “João Candido”.

O candidato diz que não serão as eleições que levarão o partido a construir um governo operário. “Nós usamos das eleições para chamar a população a se mobilizar contra o golpe de estado no país, pela restituição dos direitos políticos do Lula, que é quem seria o presidente, caso não fosse preso em uma operação fraudulenta, comandada por agentes da CIA e FBI, além de Sérgio Moro, que ganhou como premio um ministério no governo de Jair Bolsonaro.

Ele afirma ainda quem o PCO não tem qualquer ilusão a respeito do processo eleitoral, pois entende que quem será eleito são aqueles que são financiados pelos capitalistas, grandes banqueiros, que investem pesadamente nas campanhas eleitorais.

SAÚDE

Para a saúde Tiago afirma que teria que ser colocado fim no Teto dos Gastos, pois sem esta medida, fica impossível fazer qualquer investimento no setor. “Defendemos uma saúde estatal, sejam hospitais, laboratórios ou indústrias controlado pelos trabalhadores”, disse ele.

Quanto a Santa Casa, ele acredita que os capitalistas devem pagar a dívida que geraram.

O candidato disse ainda que a eleição para o PCO, representa uma tribuna para o “Fora Bolsonaro e todos os golpistas”, também restituição dos direitos políticos do Lula e uma unidade da esquerda em torno da eleição do Lula em 2022. “Não temos intenção de dialogar com Bolsonaro ou Dória, queremos chamar os trabalhadores para derrubada deles, além de dos governos de Zema, Ratinho e Caiado”, ressaltou.

Quanto ao financiamento de campanha, Tiago afirma que todas as atividades do partido são financiadas pelos trabalhadores.

SEGURANÇA

O PCO chama a população a se mobilizar para derrubar todo aparato repressivo do Estado, desde o judiciário, Ministério Público, Polícia Militar e também a Guarda Municipal. “Somos a favor da extinção de todo esse mecanismo, que só massacra a população pobre, preta e da periferia. As penitenciárias são muito parecidas com os campos de concentração nazistas, onde predomina as populações preta, pobre e da periferia. “Nós defendemos que a população se auto-organize, ou seja, que as próprias comunidades façam a sua segurança e não o estado que não da condição de vida para seus prisioneiros”, ressaltou.

MORADIA

Para Tiago, a PEC do Teto deve ser revogada, pois não permite investimentos em infra-instrutora, como moradia, saneamento. “Chamamos a população para lutar por essa revogação, para que venha mais dinheiro, para essas construções, um plano de obras públicas, controlada pelos próprios trabalhadores, que ajudaria também a gerar mais empregos, acabando assim com o déficit de moradia”, disse o candidato.

Confira o plano de governo do PCO (CLICANDO AQUI)

Você pode conferir a entrevista completa abaixo