Início Destaques

Na UPA da Vila, cão não abandona dono durante atendimento

Sentimento de preocupação e ternura de um cão pelo seu dono, um morador de rua, que chamado para ser atendido permaneceu do lado de fora da unidade até a conclusão da consulta.

630
Cão permaneceu na porta à espera do morador de rua que passava pela consulta na UPA

A pandemia tem mostrado na UPA em Araraquara cenas inusitadas. Uma delas aconteceu nesta terça-feira (23) quando um morador de rua procurou a unidade – polo de triagem dos que buscam atendimento nos casos de sintomas gripais – temendo estar com a infecção causada pelo vírus.

Um “tiozinho” como passou a ser identificado estava acompanhado do seu cão: ambos permaneceram juntos, sem que houvesse qualquer tipo de incomodação às pessoas que se encontravam na parte interna da unidade.

“Por todo o tempo foi quase impossível separá-los e o cenário motivou fotos e a viralização pelas redes sociais com manifestações que expressam o sentimento de afetividade do animal para com o seu dono”, comentou um internauta. “De fato, o cão é o melhor amigo do homem”, completou.

Para o animal momentos de angústia e inquietação na parte externa da UPA

Enquanto o morador de rua passava pela consulta o animal se manteve apreensivo e não atendeu nem mesmo o apelo de quem insistiu chama-lo para se alimentar. O cão não tirou os olhos por onde seu dono entrou para ser atendido. Impaciente circulou pelo lado de fora até bater o cansaço, indo então deitar na soleira da porta de acesso.

O que se observava entre os dois naquele instante era uma troca de amor e carinho a partir do momento que sentiam a insegurança a sua volta. Assim, tornaram dependentes um do outro por força da própria circunstância que o ambiente estava lhes oferecendo, como acontece em todas as relações, humanas ou não.

Algum tempo depois o seu dono retornou; e lá estava o homem que tirou de uma pequena sacola de plástico um pão com uma frase extremamente sincera: “A comida dele eu tinha guardado na sacola”.

A demora trouxe o cansaço mantendo olhar fixo na saída