Início Destaques

No e-sports, Ferroviária almeja quebrar barreiras e conquistar novos torcedores

O Portal RCIA entrevistou com exclusividade o CEO da Locomotiva, Pedro Martins, para saber mais sobre o investimento na área do esporte eletrônico, a contratação de Monik e de eventos na Fonte Luminosa

115
Crédito: Divulgação

Na última quinta-feira, a Ferroviária surpreendeu e anunciou a contratação da gamer Monik Bisoni para representá-la na modalidade de Pro Evolution Soccer, que conta também conta com os araraquarenses Kauan Victor, também anunciado recentemente, e Juninho Aguiar, que representa o clube desde 2018.

Ativa no game desde 2016, Monik falou sobre o seu início e das competições em que disputava, seja presencial ou online, onde a principal barreira não era apenas os adversários no campo virtual, mas sim fora dele.

“No começo foi difícil, houve preconceito. Alguns caras de quem eu ganhava não aceitavam e mandavam mensagens me diminuindo. Mas segui trabalhando e fui sendo mais reconhecida dentro da modalidade”, disse ao site do clube.

E o reconhecimento logo veio em 2018, garantindo classificação em três dos quatro principais campeonatos da modalidade: E-Brasileirão, E-Paulistão e E-Sportes. No Brasileirão, chegou até etapa presencial jogando com o Palmeiras e disputou partidas no Allianz Parque.

“Uma das minhas pretensões é abrir essa área para as mulheres que gostam de jogar vídeo game. Conseguindo abrir essas portas, o público feminino vai crescer, consequentemente. A Ferroviária dá um passo à frente para que isso aconteça”, contou.

Tia de Guilherme “GuiFera” Fonseca, que hoje representa o Barcelona, Monik espera conseguir feitos dentro do PES e agradeceu a chance dada pelo clube.

“Sou a primeira mulher a ser contratada profissionalmente por um clube. Estou extremamente feliz pela oportunidade. A Ferroviária não me descartou e nem teve maus olhos por ser mulher em um cenário masculino. Foi o único clube que até hoje me analisou pela qualidade e pela capacidade de crescimento. Fiquei anos jogando PES, muitas vezes sendo destaque e nunca tive reconhecimento por isso. Só tenho a agradecer a essa equipe. Meu foco é retribuir em dobro para o clube tudo que já me proporcionou e vai me proporcionar”, enalteceu a gamer.

O trio grená foi convidado para participar do Campeonato Brasileiro 3×3 de PES 2021, organizado pela Confederação Brasileira de Futebol Digital e Virtual, com início no dia 24 de outubro e serão distribuídos mais de R$ 10 mil reais em premiação aos primeiros colocados.

A EXPANSÃO DO E-SPORTS NO CLUBE

Em entrevista exclusiva ao Portal RCIA, o CEO da Locomotiva, Pedro Martins, falou sobre a importância da igualdade de gêneros, principalmente de ter uma mulher representando o clube no e-sports

“A gestão do clube vem procurando estabelecer projetos e iniciativas que estão alinhadas com os valores da Ferroviária. Não há um único caminho para ganhar e obter sucesso no futebol, acreditamos que existem diversas formas e trajetórias, a Ferroviária está procurando construir a sua. A igualdade de gênero vem através de uma série de práticas e rotinas que historicamente fazem parte do projeto, a maior delas é a integração plena do futebol feminino. Ainda não estamos satisfeitos, existe um longo caminho para instituirmos a real igualdade de gênero dentro do clube”, contou.

O clube investe no game desde 2017 e tinha Henrique “Henrykinho” Mesquita, bicampeão do e-Brasileirão representando o Cruzeiro, e hoje está no Barcelona, como o seu representante.

A continuidade do projeto intensifica um processo árduo na na conquista de novos torcedores. Nos anos 90, com a sequência rebaixamentos dentro do Campeonato Paulista, muitos se afastaram e viram o clube virar empresa (S/A), em 2004, e agora enxergam no jovem como um trunfo para uma aproximação e ter novos fãs.

“O clube representa Araraquara e região, mas vem procurando identificar formas de dialogar e integrar com o público jovem, hoje temos uma geração que perdeu o auge desportivo do time até os anos 90. Avaliamos que o e-sports se tornou uma indústria com enorme potencial de crescimento e queremos integrar progresso, vamos participar através das plataformas que representam o futebol”.

“Estamos constantemente procurando jogadores e jogadoras que se destacam neste meio, o primeiro deles foi o Henrykinho (que hoje está no FC Barcelona) e agora temos uma equipe com profissionais extremamente capacitados (Juninho, Kauan e Monik). Temos o objetivo de ajudar a profissionalizar deste esporte, contribuindo com a evolução entre os clubes de futebol”, completou.

Além da remuneração para os jogadores, a Ferroviária dá também toda uma estrutura e suporte para a participação de seus competidores nos mais diversos campeonatos.

“Hoje, o clube tem uma linha de patrocínios apenas para este setor, não temos dúvidas sobre o crescimento do e-sports no médio e longo prazo. Dentro deste cenário, os atletas são sócios no progresso desportivo e financeiro”, revelou.

CEO da Ferroviária, Pedro Martins acredita no fortalecimento do e-sports dentro do clube – Crédito: Rodrigo Corsi / FPF

Martins acredita no crescimento deste setor no Brasil através dos clubes para que possam fortalecer as marcas ainda mais dentro deste mercado.

“O e-sports está em processo de desenvolvimento no Brasil, existe a necessidade de apoio e suporte contínuo entre os nossos clubes. Temos a noção que a Ferroviária vai evoluir com resultados técnicos e a participação estratégica em competições e eventos, o retorno mensuramos com o desenvolvimento da marca”, conta.

Perguntado sobre outras modalidades, como CS:GO, LoL, Dota 2 e Valorant, o CEO não descartou e analisa como uma possibilidade quando o e-sports se solidificar de vez dentro da instituição.

“O nosso foco é desenvolver a plataforma de futebol e as suas áreas afins, é necessário conhecer profundamente o tema e a sua complexidade para conseguirmos sucesso. Com a evolução e a estabilização desta área dentro do clube, poderemos evoluir e pensar em novos setores e áreas”, declarou.

FONTE LUMINOSA

Casa da Ferroviária, a Fonte Luminosa passou por uma reforma profunda e foi reinaugurada em 2009, ficando no formato arena, onde o seu espaço foi aumentado, tendo a capacidade para 20 mil espectadores, e abrange não apenas futebol, mas shows e outros eventos de entretenimento.

Já em 2019, o futebol passou a ter gerência da empresa MS Sports, hoje principal acionista do clube, e tendo como investidor Saul Klein, herdeiro das Casas Bahia.

Aliando isso, não está descartada que um dia a Fonte Luminosa possa receber um grande evento envolvendo e-sports.

“A Fonte Luminosa foi constituída para ser uma arena multi-eventos, não temos dúvidas que o estádio está equipado para receber partidas e competições de e-sports. Dentro deste contexto, poderemos integrar os mais diversos braços estratégicos do clube para explorar esta possibilidade. Com a chegada da MS Sports e a nova visão estabelecida, o céu é o limite”, encerrou Martins.

Além do futebol, estádio da Fonte Luminosa comporta diversos eventos de entretenimento – Crédito: Reprodução / Twitter

E-SPORTS PODE GERAR QUASE US$ 1 BILHÃO EM 2020

A agência Newzoo, especializada em analises de games e e-sports, divulgou uma previsão de quanto o mercado de esportes eletrônicos pode movimentar em 2020, sendo que foi feito um reajuste por conta da pandemia do coronavírus.

Em artigo publicado em julho, a agência acredita que o mercado global pode movimentar cerca de US$ 973,9 milhões (aproximadamente R$ 5 bilhões na cotação atual) em receitas e quase US$ 1,2 bilhões em 2021. A projeção antes da pandemia era de US$ 1,1 bilhão para este ano.

Alguns eventos presenciais foram cancelados ou transferidos para competir online. O gráfico aponta que para 2023, a tendência do mercado é de gerar U$ 1,5 bilhão em receitas.

Newzoo Esports Revenue Growth Coronavirus Impact on Esports 2
Crédito: Newzoo.com