Início Destaques

Prefeitura apresenta projetos e ações sobre pombos no Parque Infantil 

Administração destaca que o problema em si não é a ave, mas o acúmulo de fezes no local

53
Atualmente, a responsabilidade pelos serviços de jardinagem, roçada, varrição e limpeza do Parque Infantil é do Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae)

Não é de hoje que o Parque Infantil, um dos principais pontos de lazer da cidade, sofre com a sujeira causada por pombos, cujas fezes representam um risco à saúde pública. Entendendo que todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado e que a convivência da população com as aves que adotam costumes urbanos deve ser feita com base na harmonia e no manejo sustentável, o vereador João Clemente (PSDB) pediu informações à Prefeitura sobre a situação do local, por meio do Requerimento nº 667/2021. A resposta foi protocolada no dia 13 de setembro.

Sobre os pombos, a Prefeitura destaca que o problema em si não é a ave, mas o acúmulo de fezes. Pensando nisso, “traçou-se uma estratégia ousada de colocar refletores em locais estratégicos para reorganizar o pouso das aves dentro dos canteiros, facilitando a limpeza com rastelos e retirando os animais da área calçada, reduzindo a necessidade de lavar o parque”, informa o ofício, que ainda cita a poda de galhos como outra medida adotada para redução da sujeira.

A exemplo do que ocorre na Praça do Faveral, na Praça do Cecap e na Praça da Bíblia, a Prefeitura também estuda criar pequenos bosques biodiversos, com árvores frutíferas e nativas. “A substituição gradual das árvores exóticas, onde há maior aglomeração de pombos, atrairia outras espécies de aves ao local, que competiriam com as pombas por espaços. Ao longo do tempo, teríamos a redução do número de pombos”, diz o documento.

Atualmente, a responsabilidade pelos serviços de jardinagem, roçada, varrição e limpeza do Parque Infantil é do Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae). A Coordenadoria Executiva de Logística, da Secretaria Municipal da Administração, também informou que a lavagem do parque é realizada às terças, quintas e sábados, incluindo os bancos e placas, e duas vezes por semana é lavada a área interna do Centro de Educação e Recreação (CER) “Leonor Mendes de Barros”, localizado no parque.

Preservação Ambiental 

No requerimento parlamentar, Clemente também perguntou sobre a existência de projetos de reflorestamento no município. De acordo com a Prefeitura, tem-se registrado um aumento significativo da vegetação. “Em 2009, a cobertura florestal do município não passava de 9%, e hoje já há cobertura de 14%. Com os atuais projetos, como o ‘Programa Nascentes’ do Governo do Estado de São Paulo, espera-se atingir 20%, de cobertura até 2028”, anunciou.

Crime Ambiental 

Vale lembrar que as espécies silvestres nativas, como a espécie de pomba identificada no Parque Infantil e o gambá-de-orelha-branca (um predador natural das pombas), são protegidos pela Lei nº 9.605/1998 e sua captura é proibida. Em caso de maus-tratos ou caça, entre em contato com a Polícia Ambiental pelo telefone: (16) 3331-3797 e denuncie.