Início Destaques

Logística reversa promove economia e beneficia empresas, diz Ciesp Araraquara

Ciesp oferece serviço aos associados auxiliando a  implantação da prática, atendendo à legislação e o acordo com a Cetesb

48
Desde 2017, a logística reversa é condicionante de licença ambiental da Cetesb

Reinserir no ciclo produtivo recipientes usados que possam estar sendo destinados a aterros sanitários é uma das metas do Sistema de Logística Reversa de Embalagens em Geral. O projeto é promovido pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e pelo Ciesp (Centro da Indústria do Estado de São Paulo), por meio do Termo de Compromisso celebrado com a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

Disponível especificamente aos associados do Ciesp, o sistema de logística reversa de embalagens é uma ação conjunta da indústria, demais entidades do setor produtivo e das empresas de reciclagem, incluindo associações e cooperativas de catadores. Seu objetivo é estruturar um modelo alternativo para as empresas do Estado, que viabilize o cumprimento da obrigatoriedade legal de implementar, operar e participar de um sistema de logística reversa de embalagens em geral e, por consequência, fomentar a cadeia produtiva da reciclagem.

O engenheiro químico Roberto Carlos Chimirelli Júnior, da Vênus Cosméticos, associada da regional de Araraquara do Ciesp, explica que, graças ao programa oferecido, é possível fazer com que o sistema aconteça de forma eficiente na empresa e atenda às diretrizes da Cetesb. Também pontua que adotá-lo de forma independente inviabilizaria a operação. “Nós compreendemos nosso papel na sociedade e essa é uma forma segura de nos certificarmos de que as embalagens que geramos estão tendo a destinação adequada”, explica.

 Desde 2017, a logística reversa é condicionante de licença ambiental da Cetesb, o que significa que as empresas que não demonstrarem ao órgão ambiental como implementarão a logística reversa e não apresentarem os resultados das ações, terão os pedidos de licenças ambientais negados. Com essa resolução, cresceu o número de empresas aptas a implementarem e operarem o sistema de logística reversa no Estado. Por exemplo, em 2018, 1.276 indústrias adotaram a medida e, em 2019, foram contabilizadas 1.848 empresas, de acordo com o  Plano de Resíduos Sólidos do Estado de São Paulo/2020.

Dessa forma, o Termo de Compromisso de Logística Reversa de Embalagens em Geral, firmado entre a Fiesp, o Ciesp e outras entidades signatárias, reforça o compromisso do setor produtivo no cumprimento da legislação ambiental, o que permite que indústrias associadas ao Centro das Indústrias possam atender ao requisito legal com segurança jurídica e baixo custo sistêmico.

Para Fernando Santos, assistente de gestão ambiental do departamento de desenvolvimento sustentável do Ciesp São Paulo, a logística reversa está fundamentada no conceito de economia circular. Ou seja, é uma forma de reintroduzir um material pós-uso ao ciclo produtivo, seja na forma de reciclagem, seja no aproveitamento energético.

O grande diferencial do Sistema da Fiesp e do Ciesp está no processo de rastreabilidade do processo, segundo Santos, uma vez que a empresa certificadora do Sistema homologa o processo de coleta, triagem e destinação das embalagens pelos operadores responsáveis pela coleta de resíduos nos municípios, incluindo as associações e cooperativas de catadores. “Assim, certifica-se todo o processo, desde a coleta, beneficiamento até operações de venda do material, confirmando se de fato houveram operações de comercialização de recicláveis e se foram cumpridos os princípios da economia circular.”

Conforme a Política Nacional e Estadual de Resíduos Sólidos, a logística reversa é um instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para o reaproveitamento em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos. “A indústria da reciclagem se desenvolve em quatro principais segmentos: plásticos, vidro, alumínio (metais), e papel e papelão. Nesse ciclo, a responsabilidade é compartilhada entre todos: consumidores, poder público, fabricantes, importadores, comerciantes e distribuidores”, pontua Santos.

Mais informações sobre o Sistema de Logística Reversa de Embalagens em Geral podem ser obtidas diretamente no Ciesp – regional Araraquara pelo telefone (16) 3322-1339.