Início Destaques

Teses de doutorado de araraquarenses recebem prêmio da Unesp pela excelência

Segunda edição do Prêmio Unesp de Teses é realizada na abertura do Conselho Universitário; entre os vencedores estão os araraquarenses Maurício Neves Corrêa e Larissa Sbaglia Celiberto

113
Premiados da 2ª edição do Prêmio Unesp de Teses durante reunião do Conselho Universitário

O destaque do Prêmio Unesp de Teses 2019 foi o trabalho escrito de Jhones Luiz de Oliveira, cujo título é Desenvolvimento de sistemas de liberação modificada a base de zeína e quitosana para repelentes botânicos visando o controle de mosca-branca (Bemisia tabaci) em diferentes culturas.

A pesquisa orientada pelo professor Leonardo Fernandes Fraceto, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais, do Instituto de Ciência e Tecnologia da Unesp (ICT), câmpus Sorocaba, dentro do tema Desenvolvimento Sustentável, ganhou o Grande Prêmio Unesp de Teses, o de melhor entre as melhores teses, e também o de melhor vídeo de divulgação científica na avaliação de estudantes do ensino médio.

A solenidade de entrega do Prêmio Unesp de Teses ocorreu na quarta-feira (18), antes da reunião do Conselho Universitário do mês de dezembro, com a participação do reitor da Universidade, professor Sandro Roberto Valentini, da pró-reitora de pós-graduação, Telma Teresinha Berchielli, do diretor da Agência Unesp de Inovação (AUIN), professor Wagner Valenti, e do superintendente do Santander Universidades, Afrânio Pereira, entre outras autoridades.

A premiação, organizada pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação da Unesp com o apoio da Agência Unesp de Inovação (AUIN) e do convênio Unesp-Santander, tem o objetivo de reconhecer, valorizar e premiar as teses de excelência apresentadas pelos pós-graduandos em 2019, além de estimular a constante busca pela qualidade na pesquisa, inovação e compromisso social.

O Prêmio Unesp de Teses tem como referência os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas, Agenda 2030, cujos temas foram reunidos em sete grupos: Sociedades plurais; Desenvolvimento  Sustentável;  Bioeconomia; Saúde e Bem-Estar; Materiais e  Tecnologias; Biodiversidade e Mudanças Climáticas; Ciência Básica na Fronteira do Conhecimento.

A Unesp foi a primeira universidade brasileira a adotar os ODS como premissas da nova política de gestão acadêmica.

Das 37 teses inscritas, seis obtiveram as maiores pontuações e receberam o Prêmio Unesp de Teses, depois de passar pela avaliação de 47 especialistas convidados da Unesp e de outras instituições de ensino superior: USP, UFPR, UFPB, UFC, UFSC, PUC-SP, UFF, UFABC, UFRPe, UFMG, UNICAMP, UFSCAR, UFU, INSTITUTO TECNOLÓGICO VALE, INSTITUTO FEDEDRAL DA PARAÍBA, UFPA, UERJ, UFPEL, UNIFESP, UEMS, UCS. Uma tese foi laureada com Menção Honrosa.

Nessa segunda edição do prêmio, o autor de cada tese vencedora recebeu R$ 6 mil e o professor orientador, R$ 4 mil. O escolhido para o Grande Prêmio ganhou mais R$ 4 mil, recursos provenientes do Convênio Unesp-Santander.

VÍDEOS

A organização do Prêmio Unesp de Teses também procura estimular a divulgação científica entre os participantes. Para isso, os inscritos também tiveram que enviar um vídeo, com até cinco minutos de duração, no qual explicaram a tese em linguagem não acadêmica, para o público de fora da universidade.

Os três melhores vídeos foram escolhidos por 120 alunos do ensino médio da Escola Estadual Major Arcy, que fica na capital paulista. Vinte desses estudantes participam do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – Ensino Médio, desenvolvido pela Pró-Reitoria de Pesquisa da Unesp. Pela primeira vez, os autores dos melhores vídeos receberão o prêmio em dinheiro, no valor de R$ 1 mil.

OS VENCEDORES DO PRÊMIO UNESP DE TESES

– Jhones Luiz de Oliveira, autor da tese Desenvolvimento de sistemas de liberação modificada a base de zeína e quitosana para repelentes botânicos visando o controle de mosca-branca (Bemisia tabaci) em diferentes culturas e o professor Leonardo Fernandes Fraceto, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais, do Instituto de Ciência e Tecnologia da Unesp (ICT), câmpus Sorocaba;

– Ana Carolina Faustino, autora da tese intitulada Como você chegou a esse resultado?: o diálogo nas aulas de Matemática dos anos iniciais do Ensino Fundamental e o professor-orientador Ole Skovsmose, do Programa de Pós – Graduação em Educação Matemática – IGCE – câmpus Rio Claro;

– Maurício Neves Corrêa, autor da tese, HETEROTOPIAS NO PAÍS DO MILAGRE: os povos indígenas e as histórias filmadas, e a professora-orientadora Maria do Rosário de Fátima Valencise Gregolin, do Programa de Pós – Graduação em Lingüística e Língua Portuguesa – FCL – câmpus Araraquara;

– Rodney Segura Cavalcante, autor da tese, Distanásia e Ortotanásia: Ética e Legalidade na Prática da Anestesiologia, e a professora-orientadora Eliana Marisa Ganem, do Programa de Pós – Graduação em Anestesiologia – FMB – câmpus Botucatu;

– Larissa Sbaglia Celiberto, autora da tese, Intestinal homeostasis and host defense as promoted by commensal bacteria and the colonic mucus layer, e a professora-orientadora Daniela Cardoso Umbelino Cavallini, do Programa de Pós – Graduação em Alimentos e Nutrição – FCF – câmpus Araraquara;

– Geysson Javier Fernandez Garcia, autor da tese, Estratégias de regulação de genes subjacentes a atrofia do músculo esquelético na cachexia associada ao câncer, e o professor-orientador Robson Francisco Carvalho, do Programa de Pós – Graduação em Ciências Biológicas (Genética) – IBB – Câmpus Botucatu;

– Juliana Ferreira de Brito, autora da tese Sistemas Fotoeletrocatalíticos Baseados em Eletrodos de Ti/TiO2-CuO, NtTiO2-NsCuO, NtTiO2-ZrO2 e GDL-Cu2O Aplicados de Forma Isolada e Concomitantemente à Oxidação da Água, Redução de CO2 Dissolvido e, Oxidação de Compostos Orgânicos da Água Residual de Petróleo, e a professora-orientadora Maria Valnice Boldrin;

A lista dos melhores vídeos de divulgação científica, também premiados:

– Jhones Luiz de Oliveira, autor da tese Desenvolvimento de sistemas de liberação modificada a base de zeína e quitosana para repelentes botânicos visando o controle de mosca-branca (Bemisia tabaci) em diferentes culturas e o professor Leonardo Fernandes Fraceto, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais, do Instituto de Ciência e Tecnologia da Unesp (ICT), câmpus Sorocaba;

– Sérgio Alexandre Alcântara dos Santos e o professor orientador Luís Antônio Justulin Júnior da tese Impacto da restrição proteica gestacional e lactacional sobre a próstata de ratos: Relação entre a via de sinalização da Insulina/IGF, desenvolvimento e envelhecimento que foi defendida pelo Programa de Pós – Graduação em Biologia Geral e Aplicada – IBB – câmpus Botucatu;

– Bárbara de Moura Mello Antunes, autora da tese Envolvimento do NF-kB e PPAR-gama na resposta inflamatória e metabólica em monócitos de pessoas com diferentes níveis de condicionamento físico na resposta ao exercício agudo de diferentes intensidades e o professor-orientador Fábio Santos de Lira, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Motricidade – FCT – câmpus Presidente Prudente.