Início Destaques

Unesp Araraquara brilha em competições nacionais de Empreendedorismo Social

Mobilização de alunos ocorre em nove câmpus e gera impacto positivo em diferentes áreas

63
Equipe Unesp Araraquara durante o evento

Brasil tem 23 milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade social e diversas iniciativas têm buscado maneiras inovadoras e empreendedoras de contribuir com as comunidades para minimizar essa realidade e contribuir para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). Um desses projetos é a Enactus Brasil, organização internacional sem fins lucrativos que atua oferecendo a estudantes suporte para ações que gerem impacto social, ambiental e econômico de maneira positiva.

Na Unesp, atualmente nove câmpus universitários contam com mobilizações de alunos ligados a essa organização: Araraquara, Assis, Bauru, Botucatu, Franca, Guaratinguetá, São José do Rio Preto, Sorocaba e Tupã. E todos têm se destacado em projetos e competições com visibilidade nacional.

Além da atuação em projetos dentro e fora dos câmpus, entre os dias 25 e 31 de junho, diversos times da Unesp participaram do primeiro Hackathon online realizado pela Enactus Brasil em parceria com a empresa Unilever. O evento, intitulado ENACTHON, reuniu 450 estudantes em uma competição em nível nacional voltada à proposição de soluções alinhadas aos ODS para as problemáticas advindas da pandemia da COVID-19, com a temática “O futuro é agora”.

Ao todo, foram aproximadamente 155 horas de conteúdos transmitidos aos participantes por especialistas do mercado, 30 horas de programação ao vivo pelo Youtube, abordando temas como pitch, design thinking, oratória e modelo de negócio, além de cerca de 20 horas para o desenvolvimento dos projetos. A programação ainda contou com plantões de dúvidas e cada equipe teve apoio de um mentor para auxiliar nas etapas de desenvolvimento.

Os participantes inscritos individualmente foram alocados em equipes pelos organizadores do evento e também houve a possibilidade de se inscrever em grupos de 3 a 5 integrantes, permitindo a interação com participantes de outras partes do Brasil.

Dos 93 times participantes, 20 foram selecionados como semifinalistas e, deste total, 11 foram premiados com um mês de acesso à plataforma Jaleko, que traz conteúdos da área médica para atualização, além de uma mentoria de seis meses de oratória (com encontros uma vez por mês) e de um acompanhamento de seis meses feito pela Unilever.

Participaram deste desafio 39 estudantes da Unesp, em dez equipes diferentes: quatro chegaram à semifinal e duas equipes foram premiadas. Conheça na sequência a mobilização dos unespianos e as propostas que eles desenvolveram.

ENACTUS UNESP ARARAQUARA BRILHA NO EVENTO

Os membros dessa Enactus se organizaram em duas equipes para participar do Enacthon: a Abirú e a Arar. Mesmo sem trocar informações durante a competição, as equipes criaram projetos totalmente alinhados, e ambos tiveram como guia a ODS 2 – Fome Zero e Agricultura Sustentável.

No caso do projeto “Abirú: Feira Sobre Rodas”, os membros explicam que ele foi pensado para envolver 2 públicos: produtores agrícolas do Assentamento Bela Vista e moradores em situação de rua de Araraquara. O projeto une literalmente a fome com a vontade de comer, afinal, os agricultores do assentamento precisam escoar seus produtos de forma eficaz e segura durante a pandemia, e os moradores de rua precisam ter acesso a parte desse alimento que é escoado. Para garantir que os alimentos também cheguem aos moradores de rua, parte das cestas produzidas será doada para o Grupo VIVA – responsável por preparar o alimento e distribui-lo em marmitas. A ideia foi para a semi-final do Enacthon, ficou em 16º lugar, e toda a equipe adorou participar do evento.

Em relação à solução “Arar”, a proposta visou reduzir os impactos do desperdício de alimentos  fazendo uma ligação direta entre os pequenos produtores e os consumidores da região de Araraquara através da divulgação de cestas semanais pelo whatsapp, com o objetivo de aumentar a venda dos produtos agrícolas estabelecendo a conexão entre os interessados em adquirir e os que produzem os alimentos.  Além disso, os possíveis clientes do projeto, ao adquirir cestas, estariam destinando uma parte dos recursos às organizações sociais.

Os dois projetos foram unificados e estão em fase de implementação a curto prazo, visto que eles atuam sobre a mesma problemática.

ENCONTRO NACIONAL DE ENACTUS BRASIL

Entre os dias 14 e 16 de julho, ocorreu o Evento Nacional Enactus Brasil (ENEB), reunindo 123 times de todo o Brasil em uma grande competição sobre impacto social.

Realizado virtualmente este ano, o ENEB  transmitiu lives, promoveu encontros de grandes líderes como estudantes, empresários e agentes do governo, além de experiências online abertas para qualquer pessoa interessada na temática do empreendedorismo social e na apresentação de artigos. Uma das principais pautas do evento foi o cenário com a COVID-19 e o que a rede Enactus tem feito para minimizar os impactos da pandemia na sociedade através da inovação e de diferentes modelos de negócios.

No primeiro dia ocorreram as apresentações dos trabalhos dos times enactus. Os membros da Unesp Franca, Unesp Guaratinguetá, Unesp Bauru, Unesp São José do Rio Preto e Unesp Araraquara competiram na liga principal; paralelamente, os times da Unesp Botucatu, Unesp Sorocaba e Unesp Tupã participaram da liga Rookie – específica para grupos estreantes.

Na liga principal, a Enactus Unesp Bauru foi uma das semifinalistas pela atuação nos projetos “Saúde Embalada”, que trabalha o empreendedorismo feminino com capacitações para que as mulheres se tornem financeiramente independentes gerando renda com a venda de saladas e lanches naturais na Unesp; “Ubiraci”, que envolve pessoas que estão em tratamento contra a dependência química e são estimulados e capacitados a produzirem móveis de marcenaria; e “Trilhos”, que integra cooperativas e catadores de materiais recicláveis.

Na liga Rookie, o time Enactus Unesp Tupã ficou em terceiro lugar com o projeto “ReciclaÓleo”, que se encontra em fase de estruturação; a mesma iniciativa também possibilitou que o time conquistasse o “prêmio ODS” no sétimo Objetivo de Desenvolvimento sustentável (ligado à Energia Limpa e acessível). O projeto atua ressignificando o destino do óleo usado na cozinha, convertendo-o em matéria-prima para a produção do Biodiesel, um combustível renovável e menos prejudicial ao meio ambiente. A ideia é utilizar tal combustível nos veículos da Unesp Tupã e da Apae do município, reduzindo os gastos de ambas as instituições e viabilizando que os recursos sejam utilizados para outras necessidades.

Outra conquista para a Unesp veio na categoria especial “Time Relevação”, que ficou com os integrantes do campus de Botucatu. Eles foram elogiados pela rápida curva de aprendizado, pelo nível de curiosidade e pela intensidade com que vivenciaram diferentes experiências em 2020.