Início Ferroviária

Após novela, Vinícius Munhoz não aceita cargo e deixa a Ferroviária

Treinador é o segundo que mais comandou a equipe na história, desde quando virou clube-empresa, em 2003

134
vinicius munhoz treino
Crédito: Thiago Carvalho

O ciclo de Vinícius Munhoz dentro da Ferroviária está oficialmente encerrado. No início da noite deste domingo, o técnico confirmou, através de suas redes sociais, a sua saída do time grená e deverá treinar o Red Bull Brasil na Série A2 do Paulista.

Após a chegada do investidor Saul Klein na Locomotiva, o mesmo confirmou a vinda de Marcelo Vilar para assumir o posto de treinador, colocando Vinícius Munhoz como coordenador técnico da equipe.

Por estar fazendo o curso de Licença A de treinadores da CBF, Munhoz se ausentou por uma semana de Araraquara e ficou de dar resposta à diretoria do clube se aceitaria o cargo depois que retornasse.

O regresso a cidade aconteceu na sexta-feira à noite, onde se reuniu com companheiros e amigos de clube, onde organizaram uma festa surpresa ao treinador, que fez aniversário no último dia 11, quando completou 41 anos, e confidenciou que sairia do clube.

Sob o comando da Ferroviária, foram 67 jogos, sendo 31 vitórias, 23 empates e 13 derrotas, obtendo o aproveitamento de 57,7%. É o segundo treinador que mais comandou a equipe na história após ter virado clube-empresa, ficando atrás apenas de Edson Só (92 jogos – 43V, 28E e 21D – aprov. 56,8%).

Em seu primeiro torneio, ficou com o vice-campeonato da Copa Paulista, garantido vaga na Série D do Brasileirão. O maior êxito foi ter levado a Locomotiva, pela primeira vez, a fase quartas de final do Paulistão deste ano, quando perdeu nos pênaltis para a equipe do Corinthians, desde o retorno a primeira divisão.

Já na Série D, acabou caindo para o Cianorte na segunda fase da competição e na Copa Paulista deste ano, ficou na terceira fase da competição.

Confira a mensagem deixada por Vinícius Munhoz:

“Agradeço a Ferroviária pelo período que estive a frente da equipe profissional como Treinador, onde vivenciei a total identificação com o clube e seus valores.

Pude participar de um projeto voltado para o desenvolvimento de pessoas e construção de uma identidade de futebol condizente com sua história. Carrego comigo a experiência marcante e fundamental da gestão compartilhada que promovemos, pois nada se faz sozinho, precisamos do outro, fomos uma equipe dentro e fora do campo.

Gratidão a todos os atletas com os quais tive a oportunidade de trabalhar e aprender.

Gratidão Presidente Salmazo pela oportunidade de conhecê-lo e trabalhar ao seu lado.

Gratidão Pedro Martins por confiar a mim a posição de Treinador da AFE.

Gratidão Roque Jr pela liderança e parceria em todos os momentos.

Gratidão Annie Rangel Kopanakis por ter aceitado o desafio de trabalhar conosco e fortalecer nossa convicção de que é indispensável o “Humano do Ser” no futebol.

Gratidão Comissões Técnicas, tanto as que formamos na equipe Profissional, quanto da nossa competente categoria de formação.

Gratidão a todos os colaboradores.. Nossa história se constrói através das trocas, das marcas do outro que carregamos no coração.

O legado que carrego comigo se chama gratidão grená. Feliz Natal e um 2020 repleto de realizações a todos.

Avante Ferrinha!!!”