Início Ferroviária

Ferroviária encara o Palmeiras pelas quartas de final do Brasileirão Feminino

Com dúvida no meio de campo, Guerreiras Grenás têm primeira decisão na temporada e jogo inédito no Allianz Parque

25
Crédito: Tiago Pavini / Ferroviária S/A

A Ferroviária volta a mudar o foco e retoma as atenções para o Brasileirão Feminino para a primeira partida decisiva diante do Palmeiras, nesta quarta-feira, às 19h30, no Allianz Parque, pelas quartas de final da competição.

Com campanhas parecidas na primeira fase, as Guerreiras Grenás terminaram um ponto a frente das Palestrinas. Por isso, o time de Araraquara tem a vantagem de decidir o duelo no próximo domingo, na Fonte Luminosa.

As Guerreiras vêm de três vitórias consecutivas pelo Paulista Feminino, uma diante do próprio Palmeiras e as outras duas contra Red Bull Bragantino e Taboão da Serra.

Mesmo com este resultado positivo, a treinadora Tatiele Silveira analisa um confronto diferente pelo momento importante que está a competição, além de ter o gramado sintético como uma novidade.

– É um confronto diferente neste momento. Destes confrontos que tivemos contra o Palmeiras na fase de classificação do Brasileiro e na estreia do Paulista, este mais recente. É bom uma prévia do que vem acontecendo, mas é um jogo com uma história diferente pela importância de ser um mata-mata. Por todo este contexto, acaba se tornando um jogo especial.

– Jogar no Allianz Parque é uma grande oportunidade por ser um grande estádio e sua estrutura. Infelizmente, não tivemos a possibilidade de treinar no gramado sintético e não faremos nenhum reconhecimento do gramado. As meninas terão que ter a capacidade de adaptação a partir do aquecimento e no início da partida. Mas, pela estrutura que nos entrega, acredito que não teremos grande dificuldade – declarou a treinadora.

A treinadora também falou sobre o adversário não ter vindo com força máxima na última partida, inclusive com ausência da artilheira Carla Nunes, autora de 12 gols no Brasileiro.

– As duas equipes sofreram alterações [no último jogo], mas principalmente do lado de lá eles não tiveram algumas jogadoras. Sabemos que no pós-pandemia, eles tiveram reforços e enfrentamos algumas delas, como a Camilinha. A Carla Nunes merece a atenção de qualquer equipe. Não é à toa que é a artilheira da equipe e do Brasileiro. Analisamos o último jogo que ela retornou [contra o Red Bull Bragantino], jogou alguns minutos e é claro que estamos acompanhando isso – detalhou Tatiele.

Para a meia-atacante Aline Milene, mesmo com o retrospecto favorável na temporada com duas vitórias grenás em cima do alviverde nos dois jogos disputados, o confronto desta quarta-feira tem um novo capítulo e espera um jogo bastante difícil. A jogadora falou também sobre a grama sintética e enalteceu a oportunidade de jogar no Allianz Parque.

– A gente tem que levar como novo jogo. Tudo muda nesta fase. As equipes têm o poder de entrar diferente no mata-mata. Sabemos do retrospecto muito bom, foram duas vitórias contra o Palmeiras e isso é excepcional. Mas é tudo novo. Vamos começar do zero. Vamos entrar com muita garra e respeito ao Palmeiras, que é uma grande equipe também.

– Quanto a questão do campo, eu acho que é sensacional a gente jogar no estádio do Palmeiras, no Allianz, mas eu acho que o gramado não interfere tanto. Pode ter alguma mudança, mas estamos acostumadas com o tamanho do campo por jogar na Fonte. A gente fica feliz por isso, por ter um campo bom pra se jogar e vamos fazer o que a gente vem treinando para ser feito no jogo – destacou a jogadora.

Apesar do retrospecto favorável, Aline Milene espera jogo diferente nesta quarta-feira – Crédito: Tiago Pavini / Ferroviária S/A

Recentemente, Aline ultrapassou os 50 jogos com a camisa da Ferroviária e espera chegar a outras marcas também pelo clube nos próximos anos, onde tem contrato até 2022.

– Fico feliz com essa marca e é muito gratificante servir a Ferroviária, estar dentro de campo e conseguir dar o meu melhor. Ter mais alguns anos de contrato pode fazer eu alcançar a outras marcas de meninas que já conquistaram também. É sempre lindo jogar pela Ferroviária, é um grande clube e sabia há décadas como isso aqui era especial, estou vivendo isso e fico muito feliz – disse a jogadora.

Para este confronto, a volante Maglia está em fase de transição para o campo e está fora deste primeiro confronto. Daiane e Sâmia brigam por uma vaga no meio de campo. O elenco realizou testes de covid-19 e todos os resultados foram negativos.

Com isso, a Ferroviária deverá ir a campo com Luciana; Carol Tavares, Géssica (Andreia Rosa), Luana e Barrinha; Daiane (Sâmia), Rafa Andrade e Rafa Mineira; Aline Milene, Patrícia Sochor e Chu.