Início Ferroviária

Ferroviária joga o seu futuro no Paulistão diante da Inter de Limeira

Sem chances de classificação, Locomotiva luta pela permanência na primeira divisão e Dado Cavalcanti pode fazer alterações para o confronto contra a Inter de Limeira

65
Ferroviária treinou no CT do São Paulo, na Barra Funda - Crédito: Jonatan Dutra / Ferroviária S/A

Sem chances de classificação para a próxima fase, a Ferroviária volta as suas atenções para a zona do rebaixamento e enfrentará a Inter de Limeira, neste domingo, às 16h, no estádio do Morumbi, em São Paulo, pela última rodada do Paulistão 2020.

Com 12 pontos, a Locomotiva ocupa a última colocação do Grupo D e está na 11ª posição da classificação geral, a dois de entrar no Z-2 da competição.

De acordo com o portal “Chance de Gol”, a equipe tem 0,02% de chance de ser rebaixada. O risco mínimo é por conta dos adversários da briga direta, como por exemplo Oeste e Água Santa, que terão confrontos mais complicados na teoria, contra Corinthians e Palmeiras, respectivamente.

Livre do rebaixamento, o Leão ainda tem chances matemáticas de conseguir a classificação às quartas de final. Por isso, os comandados de Elano precisam da vitória e torcer para que a Ponte Preta derrote o Mirassol, fora de casa.

Após o confronto contra o Ituano, a equipe de Araraquara permaneceu na capital e realizou treinamentos no CT do São Paulo, na Barra Funda.

Em início de trabalho, o treinador Dado Cavalcanti aposta em uma evolução na Ferrinha e planeja manter a mesma equipe, mas dependendo da condição física de cada jogador.

“Eu vou priorizar quem estiver em melhores condições neste momento. As cinco substituições que foram feitas [contra o Ituano] me trouxeram alternativas interessantes pro jogo. Todos estavam quatro meses sem jogador 90 minutos e alguns sentiram mais que os outros. Então, será feita uma avaliação e vou colocar em campo os jogadores que estiverem melhores condicionados e preparados para encararem mais 90 minutos”, declarou o treinador após o jogo de quarta-feira.

Contra o Galo de Itu, a Ferrinha contou com oito jogadores formado na base do clube, sendo que dois começaram na equipe titular, os atacantes Hygor e Felipe Estrella. Cavalcanti deixou claro que parte destes garotos podem ser utilizados neste domingo.

Treinador Dado Cavalcanti ainda tem dúvidas para escalação da Locomotiva – Crédito: Jonatan Dutra / Ferroviária

“A minha participação efetiva neste trabalho é justamente aproximar, e não criar uma barreira entre o Sub-20 e profissional, para que a gente possa trazer mais jogadores em condições de jogar. Vou fazer me valer também da questão física. Os jogadores mais jovens, geralmente, levam um pouco mais de vantagem por conta do corpo e organismo, que se recupera mais rápido. Mas isso tudo ainda é uma interrogação para a próxima partida”, declarou.

Caso Dado Cavalcanti opte pela mesma equipe que iniciou o jogo diante do Ituano, a Ferroviária deverá ir a campo com: Saulo; Lucas Mendes, Anderson Salles, Max e Bruno Recife; Higor Meritão, Tony e Fellipe Mateus; Léo Arthur, Felipe Estrella e Hygor.

HISTÓRIA

Ferroviária e Inter se reencontram no Paulistão depois de 27 anos. De acordo com o blog “Ferroviária em Campo”, do historiador Vicente Baroffaldi, o último duelo aconteceu no dia 28 de abril de 1993, com vitória grená por 2 a 1.

Porém, quem leva vantagem no confronto dentro da elite paulista é a Inter. Foram 23 jogos disputados, com seis vitórias da Ferrinha, nove empates e oito vitórias limeirenses.

A rivalidade entre as equipes aumentou com os seguidos confrontos pela Copa Paulista. Em 2018, decidiram o título da competição e a Locomotiva levou a melhor, vencendo de forma dramática nos pênaltis.