Início Ferroviária

Grupo de Giuliano Bertolucci assumirá ações da Ferroviária S/A

Futura reunião entre Conselho Deliberativo da S/A e da AFE deverá sacramentar negócio; maior investimento deverá acontecer nas categorias de base do clube

206
Crédito: Jonatan Dutra / Ferroviária S/A

Após informações divulgadas sobre as compras das ações do clube, a Ferroviária está bem próxima de oficializar o negócio envolvendo um grupo de investidores.

De acordo com o que apurou a reportagem da RCIARARAQUARA, o grupo está em Araraquara, onde conheceu a estrutura do clube e as pessoas envolvidas no projeto. O interesse dos investidores é em adquirir a parte da Know How, empresa que detém 49% das ações na Sociedade Anônima e está desde o início do projeto, em 2003.

O negócio só não foi sacramentado ainda, pois o projeto dos futuros acionistas ainda serão apresentados ao Conselho Deliberativo da Ferroviária S/A e da Associação Ferroviária de Esportes para que autorizem o negócio.

Em entrevista ao programa “Balanço Geral”, da Rádio Cultura AM, o presidente do conselho grená, Welson Alves Ferreira Júnior, o Juninho, concedeu entrevista e confirmou que o grupo de investidores está ligado ao empresário Giuliano Bertolucci, um dos principais nomes que existem no mundo do futebol.

“É um grupo muito forte ligado ao Giuliano Bertolucci. Eles vêm para ajudar a Ferroviária. Hoje, eu vejo muita dificuldade do presidente [do clube], Carlos Salmazo, em pagar a folha salarial, o que todo clube do interior tem. Com esta aquisição, servirá pra dar um fôlego, fazer um planejamento sem muita loucura e melhor para o ano que vem, pensando é claro no Paulistão”, contou.

Porém, o principal investimento e foco deste novo grupo dentro do clube de Araraquara será nas categorias de base e na construção de um moderno Centro de Treinamentos.

“Eles vêm para fazerem um trabalho com jogadores em formação, jovens entre os 10 e 13 anos, que é o foco deles, para poder captar estes atletas, ter condições de mantê-los em condições de igualdade, para evitar assédio de outros clubes e manter um elo de ligação com o clube. Quando, mais tarde, este menino estiver com 16, 17 anos, vire um craque e que realmente vai trazer dividendos para a empresa, acaba sendo difícil ele jogar no profissional. Então, eles querem participação nos direitos econômicos, negociar na Europa, etc.”, revelou o presidente.

“Este é um grupo novo que surgiu. Para se ter uma ideia, tem seis jogadores gerenciados por eles que estão na seleção brasileira, tem vários jogadores na Europa. É um projeto sério, de fazer captação de jogadores, ter os direitos econômicos presos no clube e, com isso, a Ferroviária ganha. Hoje, o futebol está muito difícil. O modelo que está presente no clube, com pequenos investidores e que foi muito importante, acaba ficando pequeno para os padrões que estão na Ferroviária hoje. Quando você quer investir grande, é bom ter este tipo de parceiro ao teu lado”, destacou.

PROJETO SÉRIE B

Sobre a possibilidade do novo acionista contribuir financeiramente para que se monte um grupo forte para a disputa do Paulistão e Série D, para que possa chegar até Série B em três anos, Juninho é cauteloso e cita o trabalho que foi desenvolvido pelo Red Bull no Bragantino.

“Estamos confiante, mas sabemos que nada disso será fácil. Pegando agora o exemplo que do Red Bull com o Bragantino, que subiu faltando mais cinco rodadas para o término da competição, é um trabalho que foi desenvolvido durante nove anos. Estão assim desde quando subiram da Série A3 para a A2 do Campeonato Paulista junto com a gente, em 2010. Precisou comprar um time que estava na Série B, que foi este ano, para poder subir. O futebol não é uma equação exata. Teremos um horizonte e condições em pensar nisto, mas se vai demorar três, quatro, cinco anos, vai depender do trabalho feito pela diretoria da Ferroviária e tem que ser um trabalho sério”, declara.

“O trabalho do ano que vem vai começar com contratações de jogadores que vão disputar o Paulistão e já vão ter vínculo para a disputa da Série D, coisa que não tínhamos condições de fazer isso. Acabava o Paulistão e terminava a verba da TV, você tinha que montar um time, começar um outro trabalho para a Série D”, lembra.

O Paulistão tem início previsto para o dia 22 de janeiro. A Ferroviária está no Grupo D, ao lado de Corinthians, Guarani e Bragantino.

GIULIANO BERTOLUCCI

Principal nome entre os empresários brasileiros no mundo futebolístico, Giuliano Bertolucci é um dos principais agentes de jogadores, sendo dono da Euro Export Assessoria e Propaganda Ltda, agenciando jogadores, como zagueiro Marquinhos (PSG), Oscar (Shanghai SIPG-CHI) e David Luiz (Arsenal-ING).

Em 2016, foi eleito pela revista britânica FourFourTwo como o sexto empresário mais poderoso do futebol mundial, chegando a movimentar bilhões anualmente com diversas transações de jogadores à Europa.

Apesar do sucesso, Bertolucci teve seu nome citado pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul, envolvido em irregularidades no Internacional de Porto Alegre, entre 2015 e 16.

Outras 13 pessoas também estão envolvidas e foram denunciados por crimes de organização criminosa, estelionato, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

O empresário negou as acusações, em audiência realizada pelo MP.

CLUBE-EMPRESA

No próximo dia 11, a Ferroviária completará 16 anos desde a instituição do clube-empresa Ferroviária Futebol S/A, que administra o futebol do clube criado em 12 de abril de 1950.

Na época, liderada por Welson Alves Ferreira Júnior, o Juninho, o time iniciou disputando a Série B1 do Paulista 2004 – hoje a Segunda Divisão – onde conquistou o acesso para a Série A3.

Em 2006, a S/A alcançaria o seu primeiro título com a Copa Paulista, ganhando a final sobre do Bragantino, em Bragança Paulista, ficando com a vaga para a Copa do Brasil 2007.

No ano seguinte, alcançaria o acesso para a Série A2, mas amargaria o rebaixamento novamente à A3 em 2009.

Já em 2010, alcançou novamente o acesso e, depois de 19 anos, alcançaria o título da Série A2 e a vaga para o Paulistão, em 2015.

Além dos acessos, a equipe conquistou mais uma Copa Paulista, em 2017, sendo vice em 2016 e 18, e voltou a disputar a Copa do Brasil 2016 e 17, o Brasileiro da Série D 2018-19 e tem vaga garantida em 2020.

Formado por um grupo de acionistas, a Sociedade Anônima pode estar prestes a passar pela sua maior reformulação desde o seu surgimento, ainda mais com o clube ostentando a elite paulista e sempre sonhando com vôos mais altos.