Início Ferroviária

Treinador da Ferroviária espera contar com jogadores do “exterior” para reta final do Paulistão

Comandante grená falou sobre a preparação física na volta aos treinamentos e se mostrou preocupado com os jogadores durante o isolamento social por conta da pandemia do coronavírus

80
Treinador Dado Cavalcanti comanda treino da Ferroviária na Fonte Luminosa - Crédito: Beto Boschiero / Ferroviária S/A

Treinando desde o começo do mês, a Ferroviária conheceu na última quarta-feira, a tabela das duas últimas rodadas do Paulistão, que terá como adversários Ituano e Inter de Limeira.

Com chances remota de classificação e também de rebaixamento, o treinador Dado Cavalcanti espera contar com elenco reforçado pelas contratações feitas para a Série D do Brasileiro, mas que dependem de regularização. No caso, seriam o zagueiro Anderson Salles (ex-Bhayangkara-IDN), e os atacantes Bruno Mezenga (ex-Prachuap FC-TAI) e Felipe Estrella, que regressou de empréstimo da Roma.

Outros nomes, como o zagueiro Matheus Salustiano (ex-São Caetano), o volantes Dener (ex-Sertãozinho), Dudu Vieira (ex-Santo André) e o atacante Will Viana (ex-Santo André), estão fora por terem disputado o estadual por outras equipes.

“Existem atletas que foram contratados exclusivamente para a Série D e não podem jogar o Paulistão. Alguns deles estão na dependência da regularização, de trâmites internacionais, como a vinda do Bruno Mezenga e do Anderson Salles. Estes terão um pouco mais de dificuldades, mas é minha intenção a utilização deles agora. Houve o retorno do Felipe Estrella, é intenção minha utilizar, mas veio da Itália. A entrada para o Brasil é bastante complicada e traz uma burocracia muito maior”, contou.

Apesar disso, Cavalcanti contará com outros jogadores, como o meia Salomão, que estava no Águia Negra-MS, e do atacante Felipe Sampaio. O novo comandante grená também não contará com o zagueiro Fabão, ex-Criciúma, pois sofreu lesão muscular durante o retorno e está descartado para as rodadas finais do estadual.

MAIS FÍSICO E MENOS TÁTICO

Com a volta recente aos treinamentos, o comandante grená destacou que a equipe trabalhou muito para chegar em sua forma física ideal e que o isolamento por conta da pandemia do coronavírus trouxe um grande mal aos seus atletas.

“As dificuldades são inerentes para todas as equipes que disputam o Paulista. Acredito que todas elas estão sofrendo pela falta de tempo para chegar ao objetivo final de uma preparação. É um caso totalmente diferente de férias. O isolamento social trouxe prejuízos muito ruins para o corpo do atleta”, contou.

“A pandemia nos trouxe outra realidade. Os atletas ficaram em casa, engordando e perdendo massa muscular, e estamos reavendo o processo inicial de treinamento. Investimos muito tempo nos ganhos físicos com segurança. Quanto mais descondicionado, maior o risco de lesão. Só nesta reta final que conseguimos reunir o grupo para a parte organizacional e prática”, complementou.

Mesmo com o pouco tempo de trabalho, Cavalcanti vê com bons olhos a equipe grená entendendo a suas ideias de jogo e a tendência é que cresça no decorrer da temporada.

“Acho que vai faltar muita coisa neste recomeço no ponto de vista tático, embora eu esteja muito animado por tudo aquilo que estamos fazendo hoje. Estamos em um degrau bacana, está havendo um entendimento no treino. Consegui reproduzir algumas coisas que coloquei para os atletas e a minha expectativa é que a equipe esteja organizada, competitiva, mesmo sabendo que vai faltar algumas coisas ainda para a sequência no ano”, explicou o treinador.

A Locomotiva enfrentará o Ituano na próxima quarta-feira (22), às 16h30, no estádio do Canindé, em São Paulo.