Início Geral

Pazuello orienta prefeitos que novo lote inteiro de vacinas seja usado como 1ª dose

A justificativa é de que há garantia de receber produção de imunizantes. O ministro garantiu que fará uma adaptação no PNI (Plano Nacional de Imunização)

125
O Ministro da Saúde Eduardo Pazuello

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, orientou prefeitos a usarem todo o novo lote de 4,7 milhões de vacinas contra o novo coronavírus para aplicação da primeira dose. A informação foi divulgada pela FNP (Frente Nacional de Prefeitos), que se reuniu pela manhã de hoje (19) com o ministro. Segundo postagem da FNP, Pazuello disse aos prefeitos que vai alterar a estratégia de vacinação e que as novas doses devem ser aplicadas em 4,7 milhões de brasileiros.

A justificativa é de que há garantia de receber produção de imunizantes. A previsão do Ministério é começar a receber esse lote de vacinas a partir da próxima terça-feira (23).

Atualmente não há uma regra para aplicação de doses, cada município priorizou os grupos de risco e a maneira de vacinar. Há localidades que optaram por vacinar mais pessoas com a primeira dose, outros lugares dividiram os lotes para que cada paciente recebesse as duas doses da vacina.

Os grupos de risco também variam em cada município. Além disso há dois tipos de vacinas utilizados para imunização: CoronaVac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, e Oxford/AstraZeneca, distribuída pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). O correto é o paciente receber as duas doses do mesmo laboratório. Nesta semana ao menos cinco capitais registravam falta de vacinas

Ainda de acordo com FNP, o ministro prometeu que “todos os leitos necessários, habilitados e usados serão pagos. Ninguém vai ficar com leito sem poder usar e sem receber pelo uso”. Os prefeitos pedem que Pazuello priorize profissionais de ensino na estratégia de imunização.

Segundo a FNP, o ministro garantiu que fará uma adaptação no PNI (Plano Nacional de Imunização) para incluí-los o mais rápido possível, provavelmente até março. Pela manhã o presidente da FNP, Jonas Donizette (PSB), vai dar entrevista a jornalistas para detalhar o que foi tratado na reunião.