Início Geral

Prefeito Edinho diz que vídeo com possível interdição do Gigantão é “divulgação irresponsável com claro objetivo político-partidário e quer confundir a opinião pública”

Reportagem com mais de 10 mil acessos sobre o estado de conservação e riscos de desabamento do Gigantão motivou o prefeito Edinho Silva – baseado em laudo técnico do engenheiro Roberto Massafera – a emitir nota condenando como irresponsável a publicação do vídeo. Pelo laudo também assegura que está tudo em ordem. 

57
Edinho 130
Prefeito Edinho escora-se em parecer do ex-deputado e engenheiro Roberto Massafera para evitar interdição do Gigantão

Com assinatura da Prefeitura Municipal de Araraquara, lendo-se na verdade Prefeito Edinho Silva, nota foi emitida sobre a veiculação de um filme que atesta problemas de ordem estrutural no Gigantão, daí a interferência do Ministério Público que decidirá se pede ou não o fechamento da praça de esportes.

O filme em questão foi feito pelo Portal RCIARARAQUARA.COM e colocado em sua página no facebook na última sexta-feira, é interpretado como um documento onde os engenheiros Renato Monteiro de Almeida e Wilson Léo mostram os problemas existentes na parte estrutural do prédio.

É importante lembrar que os mesmos dois engenheiros em 2004 alertaram a Prefeitura e o Ministério Público sobre os riscos de desabamento; só em 2010 é que uma aba no fundo do Gigantão desabou, deixando de ser profecia para direcionar a queda às questões técnicas e estruturais.  Pouco minutos antes acontecera no local um evento esportivo e não houve vítimas. Os dois profissionais continuaram alertando as autoridades para novos riscos.

Com a luz de alerta acesa outra vez, o Ministério Público decidiu interditar o Gigantão por uma simples razão: a promotoria afirma que após três pareceres técnicos foram constatados problemas estruturais, a presença de anomalias que poderiam causar novos desabamentos, mesmo após a reforma feita no ano de 2012.

Em publicação no Portal Cidade On, dia 8 de abril, uma divulgação semelhante a que foi feita no RCIARARAQUARA, fica atestada a omissão, a imprudência e a negligência do município, pois de acordo com a Promotoria: “Oito anos se passaram sem que fossem feitas as manutenções pelo poder público municipal sobrevindo riscos quanto à segurança das pessoas e atletas e deterioração ao patrimônio arquitetônico e cultural”.

Neste sábado houve a contestação do Prefeito Edinho Silva, que entende a nossa divulgação como irresponsável, baseando-se num laudo do engenheiro Roberto Massafera.

Uma das vigas afetadas, mostrando a rachadura nesta sexta-feira (26)

NOTA DA PREFEITURA

A Prefeitura de Araraquara esclarece que o Ginásio de Esportes Castelo Branco, o Gigantão, não possui qualquer risco de desabamento ou outro problema estrutural que ofereça risco a seus frequentadores. Isso é comprovado por laudo técnico do engenheiro Roberto Massafera, que foi responsável pela construção do espaço esportivo e tem acompanhado todas as obras de manutenção ao longo dos últimos anos.

Nessa análise, o engenheiro afirma que o Gigantão “está em perfeitas condições de estabilidade, oferecendo total segurança aos seus usuários e ao público em geral”, já que as fundações estão consolidadas e as movimentações da estrutura por efeito térmico estão previstas no projeto original. Ou seja, qualquer notícia que contrarie o laudo está equivocada.

Esse laudo técnico teve validade reconhecida pelo Poder Judiciário. Em decisão do último dia 24 de abril, da 1ª Vara da Fazenda Pública, o juiz João Baptista Galhardo Júnior escreve que se deve ter ponderação, “evitando-se decisão drástica que possa impedir a realização de eventos já designados no local”, respaldado na manifestação de engenheiro Roberto Massafera.

Segundo a decisão, a Prefeitura tem 60 dias para providenciar junto ao IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) um laudo que aponte a situação estrutural do ginásio, mas sem necessidade de interdição do espaço durante esse período.

A Prefeitura lamenta a tentativa de distorção dos fatos que apenas serve para confundir e alarmar a população sobre algo que não tem procedência. Para a Prefeitura, essa prática é uma irresponsabilidade que precisa ser repudiada.

O laudo utilizado, com claros objetivos políticos, tem credibilidade questionável, já que nenhuma averiguação científica o embasou, ao contrário daqueles em posse da Prefeitura de Araraquara. Importante ainda informar a opinião púbica, que o mesmo laudo, traz a assinatura de profissional demitido por justa causa a bem do serviço público, preso em flagrante delito por autoridade policial.

Prefeitura Municipal de Araraquara