Início Destaques

Em Araraquara a solidariedade dos jovens às famílias das vítimas da covid-19

Duas faixas, uma na Praça de Santa Cruz e outra no cruzamento da Nove de Julho com a Bento de Abreu, serviram para demonstrar a solidariedade de um grupo de jovens aos familiares das 100 mil vítimas do coronavírus

129
A solidariedade dos jovens na Praça de Santa Cruz na manhã desta segunda-feira

Um grupo de jovens decidiu nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira (10) colocar duas faixas em pontos considerados estratégicos: Praça de Santa Cruz e o cruzamento da Rua 9 de Julho com a Bento de Abreu, no Jardim Primavera. As faixas eram uma demonstração de solidariedade aos familiares dos 100 mil mortos atacados pela Covid-19.

Segundo Guilherme Bianco, uma das lideranças do grupo, as faixas não apresentam nenhuma conotação político-partidária e sim a expressão de dor pelos que perderam seus entes queridos durante a pandemia, interpretada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, como uma “gripezinha”.

“Não se pode insinuar que uma pandemia não tenha feito estragos no País; a violência da sua força aterrorizou o povo brasileiro e estes efeitos a gente ainda pode sentir pois ela não acabou”, disse Guilherme.

No sábado o grupo decidiu finalizar uma iniciativa que já vinha sendo discutida durante a semana: quando for atingida a marca dos 100 mil óbitos temos que mostrar este sentimento de perda de alguma forma, argumentou.

Faixa colocada na Bento de Abreu com a Nove de Julho

Através de faixas é que os jovens pacificamente mostraram solidariedade aos familiares dos mortos atingidos pela pandemia. Em Araraquara até esta segunda-feira o número de óbitos já atinge 21 pessoas, havendo ainda dois casos suspeitos que vêm sendo analisados por laboratórios conveniados: “Independente de raça, cor ou religião; são araraquarenses, são brasileiros, pessoas do mundo todo que foram reverenciadas por este gesto, que embora simples, demonstra o nosso respeito e carinho em uma história triste que estamos vivendo em todo o mundo”, completou Guilherme Biando, ao Portal RCIA.