Início Política

Lula a Ciro se reúnem, “assinam” acordo de paz e projetam alianças futuras

A melhor frase para caracterizar o reencontro, o aperto de mãos e um tratado de não agressão (é o que se sabe, por enquanto) é a seguinte: "O Lula está solto, babaca".

58
Lula e Ciro juntos "novamente"

Rompidos desde a eleição de 2018, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) selaram as pazes em uma conversa. O gesto pode significar o início de uma reaproximação entre os partidos de esquerda de olho na disputa presidencial de 2022, apesar de o assunto não ter sido abordado no encontro”.

A conversa foi mediada pelo governador Camilo Santana, cujo DNA político é a mais reluzente mistura de PT com os FGs. “As tratativas para viabilizar a conversa duraram mais de um mês”. Portanto, coincide com a suspensão dos ataques que Ciro costumava dirigir aos petistas.

Apostem: Essa conversa passa também pela eleição de Fortaleza. A reaproximação entre Lula e Ciro mina o discurso de Luizianne Lins na disputa pelas Prefeitura. A petista vinha se apresentando como a candidata anti-Ferreira Gomes e anti-Bolsonaro.

Claro que 2022 passa por essa conversa. Porém, o aperto de mãos não é coisa dos últimos dias. A reportagem relata que a reunião, ocorreu no começo de setembro, na sede do Instituto Lula, em São Paulo, e durou uma tarde inteira. “Ciro falou de suas mágoas com o PT, enquanto Lula lembrou os ataques do ex-ministro ao partido”.

“O tema central da conversa, porém,foi o governo do presidente Jair Bolsonaro e a situação do país diante da pandemia de coronavírus. Diagnósticos sobre as razões do resultado eleitoral também foram apresentados”.

Pois é. A melhor frase para caracterizar o reencontro, o aperto de mãos e um tratado de não agressão (é o que se sabe, por enquanto) é a seguinte: “O Lula está solto, babaca”. É a política como ela é. O aliado de ontem pode ser o inimigo de hoje que pode ser o aliado de amanhã.

Segundo a reportagem do O Globo, em setembro, já depois da conversa, Lula colocou o pedetista na lista de nomes qualificados para disputar a Presidência. Também chamou as diferenças entre eles de “pontuais” e disse ter respeito por Ciro. Desde o encontro, o ex-presidenciável do PDT, por sua vez, não fez mais acusações pesadas contra o ex-presidente e o PT.