Início Destaques

Vereador questiona má qualidade do asfalto e Obras diz que não há serviço mal feito

Edson Hel (Cidadania) questionou a prefeitura sobre serviços prestados por terceirizadas; secretaria responsável diz que massa asfáltica pode durar de 8 a 12 anos dependendo da drenagem urbana e que se houver trabalho mal executado a empresa é acionada a refazer sem custos adicionais para os cofres públicos, porém não há "registros de recapeamentos mal feitos no município"

49
O vereador Edson Hel (Cidadania)

No dia 9 de junho, o vereador Edson Hel (Cidadania) protocolou o Requerimento nº 539/2021, solicitando ao Executivo informações documentadas sobre os serviços asfálticos prestados ao município, considerando a “má qualidade dos serviços asfálticos realizados pelas prestadoras terceirizadas no município de Araraquara”.

O parlamentar questionou o que a Prefeitura pode fazer para amenizar os problemas decorrentes dessa situação; se estão sendo realizadas autuações a essas empresas; qual a duração mínima dos serviços de recape feitos pelas terceirizadas; qual a diretriz adotada pela Prefeitura para que esses impasses sejam resolvidos sem que os contribuintes tenham que pagar em redundância por esses serviços; se o Executivo tem uma estimativa de quantos recapeamentos apresentaram problemas e, se sim, quanto tempo se passou desde a entrega da obra até o aparecimento das primeiras reclamações; quantos e em quais locais esses serviços de recape precisaram ser refeitos.

“O município já contava com um baixo investimento nesse setor e agora está quase paralisado em decorrência dos problemas na economia causados pela pandemia. Porém, há muitos investimentos nesse setor advindos de emendas parlamentares de deputados estaduais e federais, buscadas por vereadores, que também são cobrados pela sua base de origem. Por isso, precisamos entender essa questão a fundo e cobrar providências”, frisava Hel no documento.

O vereador também afirmou que havia diversos bairros na cidade onde o asfalto foi feito há pouco mais de um ano e já estaria deteriorado, “o que justifica a propositura, a fim de investigar o motivo desses problemas e de encontrar uma solução para a situação”.

Em resposta, o gerente de Obras Viárias e Drenagem, Daniel Siqueira, explicou que, quando da má prestação de serviços terceirizados é possível acionar a garantia dos serviços executados. “Sempre que são constatados serviços mal executados, as empresas executoras são notificadas imediatamente.”

Sobre a capa asfáltica, ele detalha que a duração média é de 8 a 12 anos com os esforços normais de tráfego. “O que pode abreviar essa vida útil é a situação da drenagem urbana na via. Quando há grande precipitação e o sistema de drenagem urbana não é capaz de captar a vazão gerada, esse excedente que escoa na camada de rolamento abrevia sua durabilidade.”

De acordo com o gerente, quando há má execução de serviços por terceirizadas, a Secretaria de Obras aciona a empresa para que o serviço seja refeito e os contribuintes não paguem em redundância. “Não temos registros de recapeamentos mal feitos no município e não foram refeitos serviços recentemente”, diz, finalizando os questionamentos de Hel.