Início Destaques

Equipamentos de proteção estocados podem fazer falta nos hospitais da cidade

Não há máscaras e nem álcool em gel; o que chega, via de regra pequenas cargas, logo termina. Os hospitais estão vivendo o drama pois fornecedores fazem a opção de entrega aos lugares em que os recebimentos serão mais rápidos.

66

A reportagem do RCIA esteve em algumas lojas da cidade que comercializam EPIs – Equipamentos de Proteção Individual e identificou uma situação preocupante: em todas as lojas equipamentos como máscara, macacão, luvas, estão esgotados. A compra feita pela população foi em alta escala obrigando os comerciantes a solicitarem mais equipamentos para os fabricantes e fornecedores. Algumas prefeituras da região se mobilizaram e fizeram compras em grande quantidade, outras estão preocupadas pois não conseguem fazer.

Neste domingo (23) o Hospital Gota de Leite conseguiu efetuar a compra em grande quantidade em uma loja do comércio. Um hospital particular de Araraquara informou estar com estoque baixo e demonstrou preocupação por não estar conseguindo adquirir novos equipamentos de proteção.

Em uma das lojas os fabricantes irão disponibilizar novos equipamentos daqui a duas semanas com a condição de ser cedido inicialmente a sua maioria para os hospitais e centros de saúde com o objetivo de proteger inicialmente os enfermeiros, médicos, dentistas, auxiliares de enfermagem, demais profissionais da área da saúde que estão em contato direto com os casos suspeitos.

A preocupação dos comerciantes é o volume estocado e até mesmo aqueles que efetuaram a compra para posteriormente revenderem por um preço com custo elevado. Há quem dia que uma máscara simples, comercializada a R$ 3,80 está sendo vendida pelo valor absurdo de R$ 10,00 cada.

O gerente de uma loja, Gustavo Henrique Rios afirmou que os preços serão mantidos em seu preço original sem qualquer alteração de aumentar o valor dos produtos.

Os respiradores (máscaras) indicados são Itens Disponíveis e Regularizados para o Mercado.