Início Artigo

Sorrateira no mercado, Ferroviária se reforça na busca por títulos no futebol feminino em 2022

Por Rafael Zocco

192

Em um mercado cada vez mais disputado no futebol feminino, a Ferroviária se sobressaiu e fez contratações que podem colocar a equipe em outro patamar nesta temporada de 2022.

Não digo em ser campeã de tudo (se for, que bom, né?!), mas com as disputas de Brasileiro, Paulista e Libertadores, ganha um poderio com um elenco mais competitivo e rotativo, com peças que conseguem se encaixar do jogo apoiado [de triangulações] proposto pela treinadora Roberta Batista.

Na temporada passada (excluindo a Libertadores de 2020, que foi realizada em 2021), o time sofreu com baixas importantes devido a lesões, principalmente LCA (ligamento cruzado anterior), como a das volantes Nicoly e Amanda Brunner, além da atacante Lurdinha. Foi tudo “no limite”, tanto para então treinadora Lindsay Camila, quanto para Robertinha. Mesmo assim, finalizou a temporada figurando entre as quatro melhores equipes do futebol brasileiro e continental.

Assim como todo final de temporada, cria-se a expectativa por reformulações, quem sai e pode ser contratada para o próximo ano. Talvez, esse tenha sido o grande desafio da coordenadora de futebol feminino, Nuéli Silveira, a Nuty, dentro das Guerreiras Grenás.

Com a concorrência entre os clubes ainda mais fortes e alguns deles com aporte financeiro elevado para a modalidade, a Ferroviária, mais uma vez, apostou no que sempre fez nos últimos anos, no projeto: calendário cheio, estrutura, condição de trabalho e contrato a longo prazo para as jogadoras, são dos muitos trunfos que tem, mesmo com orçamento abaixo dos considerados “times de camisa” do futebol brasileiro.

A movimentação foi sorrateira e não causou nenhum alarde. Ela começou no ano passado, já no segundo semestre, ainda com o andamento do Paulista e tendo a Libertadores pela frente, quando definiu a permanência de atletas do time titular para este ano.

O elenco, ao todo, teve nove saídas confirmadas, entre elas as atacantes Patrícia Sochor e Raquel. Porém, com trabalho feito por Nuty e comissão técnica, conseguiu repor com outras nove contratações.

Pela forma como joga, atendeu aos pedidos de Robertinha e foi certeira nas escolhas, com destaques para a volante Ingryd (ex-Corinthians), a meia colombiana Fany Gauto (ex-Santa Fe-COL) e a atacante venezuelana Joemar Guarecuco (ex-América de Cali-COL). A zagueira Camila (ex-Avaí/Kindermann) e atacante Eudimilla (ex-Grêmio), também chegam com status de titulares na equipe grená.

No papel, é um time que pode brigar por títulos, aumenta a curiosidade da torcida e de quem acompanha o futebol feminino.

Agora, resta saber o quanto pode render dentro das quatro linhas diante de um Corinthians, por exemplo, que tem um trabalho a longo prazo com Arthur Elias e vem com as principais conquistas na última temporada.

*Rafael Zocco, é jornalista esportivo do RCIA Araraquara

**As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do RCIARARAQUARA.COM.BR