Início Cidade

O entulho do meio urbano descartado na zona rural de Araraquara

O desrespeito do homem com o meio ambiente e a fragilidade da politica publica, está permitindo o surgimento dos depósitos clandestinos agora em pontos mais afastados do perímetro urbano

105
Foto colhida pelo RCIA na zona rural da cidade para onde agora caminha o despejo urbano longe dos olhos da fiscalização

Com a intensificação de resíduos urbanos, as autoridades, pesquisadores e sociedade têm voltado seus esforços para enfrentar as dificuldades de manejo e disposição final adequada ao que sobra de uma construção ou demolição. Neste sentido, é coerente afirmar que estes resíduos fazem parte atualmente de um problema muito sério, pois representam a maioria de resíduos sólidos gerados no meio urbano.

A ausência de políticas em relação à gestão na fiscalização e gerenciamento desses resíduos têm provocado diversos impactos como o surgimento de depósitos clandestinos nas áreas mais afastadas do perímetro urbano e alto custo de gastos por parte da administração pública para criar modelos de gestão corretiva.

O modelo de gestão corretiva atualmente tem demonstrado ser obsoleto e ineficaz para a redução dos impactos negativos gerados pela deposição irregular de resíduos de construção em locais irregulares que contemplem a minimização dos impactos causados ao meio ambiente e a saúde humana.

Esta imagem foi flagrada pela equipe de reportagem do RCIA em um canavial no perímetro rural de Araraquara, demostrando a falta de consciência do ser humano e também da fiscalização por parte do poder público. É do conhecimento de todos que o lixo é essencialmente algo semi-identificado ou semi-identificável, formado de partes destacadas daquilo que já foi: são pedaços em decomposição e restos do que foi útil em grande medida.

Quando existem políticas públicas voltadas sobre o lixo, isso vai deixando de ser um tabu, tornando-se algo precioso e deixa de ser ameaçador, na proporção em que perde sua identidade já parcial, ou seja, quando vira cinza volta a ser terra, quando é queimado se transforma em fumaça, quando é reciclado adquire nova vida.

Em linhas gerais o que falta além da conscientização humana sobre o descarte é a iniciativa do gestor desta área em criar dispositivos modernos para transformar o lixo em fonte de riqueza para o próprio município.