Início Destaques

Em crise no PSL, caminho de Bolsonaro pode ser o Patriota

Reuniões com o presidente nacional do Patriota vêm acontecendo desde 5 de setembro, mas a possível mudança não ocorreria de imediato

186
Adilson Barroso, presidente nacional do Patriota e o presidente Jair Bolsonaro

A informação que corre nos bastidores da Câmara dos Deputados, em Brasília, é que Jair Bolsonaro articula ocupar o Patriota, sigla que já foi o PEN e elegeu cinco deputados federais nas últimas eleições.

Adilson Barroso, presidente nacional do Patriota, apoiou Jair Bolsonaro nas eleições do ano passado, embora seu partido tivesse como candidato a presidência o folclórico Cabo Daciolo. Barroso garante que o presidente Bolsonaro tem consciência de que seu partido atual o PSL, só o levou porque foi ludibriado por Gustavo Bebiano, que na época era presidente da sigla, mas acredita que os bons ventos podem voltar a soprar.

Adilson conversou com o Portal RCIA via telefone na tarde de 5 de Setembro, direto do aeroporto de Viracopos em Campinas, onde de lá segundo informações, tomaria um voo para Brasília, onde participaria de uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro. Sobre a reunião, na ocasião Barroso preferiu não comentar, mas ao que parece está rendendo frutos ao partido.

A ideia é levar para a nova casa 34 dos 54 deputados federais que o PSL elegeu em 2018 além de dois senadores Flávio Bolsonaro (RJ) e Soraya Thronicke (MS).

A possível mudança não ocorreria de imediato. Jair Bolsonaro aguarda resposta a uma consulta “que teria sido feita ao TSE para saber se poderá levar os recursos do fundo partidário do PSL caso migre para outro partido”

O presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE), disse nesta quarta-feira, 9, considerar que o presidente Jair Bolsonaro já decidiu pela saída do partido. “Quando ele diz a um estranho para esquecer o PSL, mostra que ele mesmo já esqueceu. Mostra que ele não tem mais nenhuma relação com o PSL”, afirmou o dirigente partidário.

Outra informação é que o bolsonarismo avalia criar um partido chamado “Conservadores”, agremiação que anteriormente atendia pelo nome de Direita São Paulo, que vem assumindo diretórios do PSL em várias cidades, caso de Araraquara.