Início Cidade

No dia da ‘Independência’ a revolta dos moradores

O estado de abandono e crítico de uma das mais belas praças de Araraquara, a Praça da Independência ou Jardim Público, provocou a ira dos moradores para que as autoridades tomem a iniciativa de revitalização do espaço. O vereador Rafael de Angeli saiu em socorro de quem reside naquela região.

586
Esperamos que a Prefeitura e as Secretarias tenham mais zelo com nossas praças e jardins públicos, diz Rafael de Angeli

Quem passa pela Praça da Independência, o tradicional Jardim Público, se assusta com o abandono do espaço. Sujeira, segurança e falta de manutenção fazem com que o araraquarense se esqueça de que o lugar já foi referência para aqueles que desejavam passear, brincar, caminhar ou mesmo passear.

Quem trabalha na região explica que o descaso com o patrimônio público tem trazido transtornos para quem transita pela praça. “Nesses dias, uma senhora tropeçou em um buraco, caiu e quebrou a clavícula”, explicou Elaine Oliveira, proprietária da banca de revistas.

Lia de Lucca, que mora no entorno, procurou o vereador Rafael de Angeli (PSDB) para pedir providências ao Executivo. Na tarde da quarta-feira (4), o parlamentar foi até a praça para discutir as demandas do local juntamente com o secretário de Cooperação dos Assuntos de Segurança Pública, Coronel João Alberto Nogueira, a coordenadora da Guarda Municipal, Juliana Zácaro, a diretora de Gestão Ambiental do Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae), Katia Castro Matteo, a gerente da Proteção Básica, Ana Cássia Limeira Volpe, a representante da Secretaria da Assistência Social, Maria Cecília Sambrano, moradores e comerciantes do bairro.

Kátia explicou que a parte de vistoria da área e manutenção da área verde, bem como os pontos de vazamento de água, são responsabilidades do Daae, porém o reparo do calçamento e a colocação de pontos de iluminação da rua são funções da Secretaria de Obras e Serviços.

Quatro ângulos de uma praça abandonada pelo Poder Público

O problema social também foi discutido. Maria Cecília reiterou que a Assistência Social disponibiliza serviços para as pessoas em situação de rua, mas que a decisão de sair ou não do local é da pessoa. “Ela tem o direito de ir e vir, ninguém pode obrigá-la a sair do local, porém, a partir da revitalização da praça, é possível que as pessoas que dormem aqui também ajudem a cuidar do lugar”.

Opinião similar foi compartilhada pelo Coronel João Alberto, que propôs melhorias para a segurança do local. “Temos três problemas: estrutural, social e criminal. O que devemos fazer é a prevenção primária. Toda vez que permitimos que o patrimônio seja depredado devido à falta de manutenção, possibilitamos a ocorrência de outros problemas. Por isso, ao melhorar a iluminação e a limpeza, consequentemente, aumentamos a segurança”, explicou.

Ao final, cada representante comprometeu-se a encaminhar as demandas de responsabilidade. Nos próximos dias, Angeli conversará com a secretária de Obras e Serviços, Anna Padilha, para repassar os pedidos da população.

“Infelizmente nossas praças estão esquecidas pelo poder público. Esperar ganhar revitalizações no Orçamento Participativo, onde cada bairro tem outras e grandes prioridades, é inadmissível. Esperamos que a Prefeitura e as Secretarias tenham mais zelo com nossas praças e jardins públicos. São os poucos locais que ainda existem para um lazer e até mesmo para a prática de exercícios pela população, como até mesmo uma simples caminhada. Continuaremos apontando e cobrando soluções” afirma o vereador.