Início Ferroviária

Apesar do empate, Vinícius Munhoz fala em melhor atuação da Ferroviária sob o seu comando

Treinador da Locomotiva enaltece trabalho dos jogadores, mas lamentou resultado em casa; Munhoz ficou na bronca com "cera" por parte do Nova Venécia

49
Crédito: Tiago Pavini/Ferroviária SA

O empate sem gols diante do Nova Venécia-ES ficou com um certo gosto amargo por parte da Ferroviária, em jogo válido pela 11ª rodada do Brasileiro da Série D.

Melhor em todo o jogo, a Locomotiva criou as principais chances de gol e poderia ter saído com a vitória, mas acabou parando na marcação capixaba e também na trave, na qual foi acertada duas vezes na segunda etapa.

Em coletiva realizada pós-jogo, o treinador Vinícius Munhoz concordou que este foi a melhor apresentação da equipe sob o seu comando, mesmo não conseguindo o resultado positivo dentro da Fonte Luminosa.

Um dos pontos durante o jogo foi que a equipe explorou os lados do campo, com Júlio Vitor e Welinton Torrão, com os espaços deixado pelos laterais da equipe adversária.

“A Ferroviária já vinha dando sinais do jogo [proposta] que estava próximo de acontecer e aconteceu hoje [ontem]. Temos que entender também que precisamos ter calma e muita sabedoria para não entrarmos em desespero. A Série D se caracteriza por ter equipes muito equilibradas. Quando o adversário vem aqui na Fonte, sabe da qualidade que tem a equipe da Ferroviária e escolhem um pouco mais em se defender”.

“Por dentro do campo não é possível, por isso pensamos em jogar mais por fora [lados]. Agora, precisamos ter calma e analisar friamente o que aconteceu. Nós temos totais condições de chegarmos na próxima rodada, por tudo que a gente vem apresentando, em conquistarmos o resultado que deixamos escapar aqui na Fonte. É desta forma que vamos conduzir o trabalho durante toda a semana”, completou.

Na segunda etapa, o jogadores do Leão quiseram valorizar o tempo, caindo no gramado pedindo atendimento médico, o que trouxe uma grande ira dos lados grenás, tanto de jogadores e comissão técnica, como dos mais 700 torcedores que estiveram presentes na Fonte.

Após a partida, houve um princípio de confusão dentro do gramado e as atitudes tomadas por alguns jogadores do time capixaba contra a torcida grená causaram revolta.

“Um dos valores que prezo muito é o respeito. Eu entendo o que acontece dentro do campo, cada equipe traça a sua estratégia. A minha reclamação não foi nem do resultado do jogo. O Nova Venécia tem mérito em sua estratégia, mas mais em função do respeito com o nosso torcedor. Eu entendo que atitude não deve ser desrespeitosa, ainda mais quando a gente visita a casa de outra pessoa. Eu procurei cobrar um membro da comissão e diretoria do Nova Venécia neste sentido. Quando fomos lá, nós os respeitamos também. O nosso torcedor merece o respeito e eu entendo que a Ferroviária fez um grande jogo, aplaudiu a nossa equipe pelo esforço, mas não merece o retorno que teve por parte da equipe do Nova Venécia. Ficou apenas este o questionamento, nada relacionado ao jogo”, comentou.

Sobre a “cera” por parte de alguns jogadores adversário, Munhoz entende que este tipo de artifício faz parte do futebol, mas prega ser contra esse tipo de atitude e ressaltou que a sua equipe só pensa em jogar.

“Eu entendo que isso faz parte do jogo. Se a equipe se dispõe a fazer isso, é difícil controlar e acaba gerando ansiedade por parte da equipe adversária, torna o ambiente hostil, dependendo como se comportam. Eu, particularmente, sou contra. Eu preparo a minha equipe para jogar futebol. Entendo que essa tem que ser a essência do nosso trabalho, mas, na realidade, não é assim. A situação, às vezes, faz com que usem deste artifício fica complicado para outra equipe controlar. Preparo a Ferroviária para jogar futebol, temos jogadores de qualidade, temos trabalho, dedicação e é desta forma que tem que fluir o trabalho da comissão técnica, e não praticar o antijogo e alimentara discórdia, dificuldade do jogo. Todos que estão envolvidos com o futebol, assim como a torcida, esperam sempre em ver um grande jogo, coisa que eu vi do lado da Ferroviária. A imagem que fica é da luta e entrega dos atletas, da capacidade que tem o elenco e aumenta a nossa expectativa para a competição”

Com a semana cheia de trabalho, a Ferroviária começa a focar no próximo compromisso que será diante do Real Noroeste-ES, partida que acontece no próximo sábado (2/7), às 15h, no estádio José Olímpio da Rocha, em Águia Branca, no Espírito Santo.