Início Gente da Nossa Terra

Orlando Bonifácio Martins, exemplo para novas gerações

O RCIARARAQUARA começou em setembro mês que se comemora o Dia dos Contabilistas, uma série de reportagens que visa homenagear os profissionais que mais têm se destacado em nossa história contábil.

547
Orlando Bonifácio Martins, diretor da Jucesp - regional Araraquara

Orlando Bonifácio Martins, considerado um dos nomes mais expressivos pelos contabilistas de Araraquara e região, está em atividade há exatos 50 anos, sendo um dos sócios do Escritório Visão de Contabilidade.

O contador é o profissional que cuida das questões financeiras, tributárias, econômicas e patrimoniais de uma empresa. Em seu cotidiano, lida com planilhas, demonstrativos de resultados, contas a pagar e a receber, guias de impostos e muitos números, na verdade, uma profissão que exige muita atenção e responsabilidade.

Para Orlando ou Zague como é conhecido pela sua convivência com o futebol amador, formado em contabilidade em 1969, “o contabilista é como um padre, tudo que sabe deve ser guardado a sete chaves”. Tanto é que hoje é o administrador designado pelo Sindicato dos Contabilistas e da Associação das Empresas Contábeis de Araraquara para administrar a Jucesp – Junta Comercial do Estado de São Paulo, em nossa região.

Orlando e a esposa Edna Frajacomo Bonifácio comemorando 51 anos de casados

Primeiro, Orlando trabalhou por cerca de 5 anos visando trazer para a cidade um posto da Junta Comercial do Estado de São Paulo. Existia na época um posicionamento para formação de base regionais. “Foi um trabalho árduo, mas hoje já completamos 25 anos, dez anos de posto e quinze de escritório regional”, comemora orgulhoso o profissional. Para ele, na atualidade é menos burocrático se abrir um escritório e essa é uma das razões do seu agradecimento à Prefeitura Municipal, pois ela sempre forneceu os assessores que foram pedidos através do convênio firmado com a Junta”.

Orlando reconhece que a profissão de contador está avançada em todos os segmentos: a informática chegou para revolucionar. E recorda: “no passado os escritórios em formação eram chamados de guarda-livros”.

Neste período de 50 anos de profissão, Orlando passou 20 deles sendo diretor da Federação dos Contabilistas do Estado de São Paulo, o que é outro motivo de orgulho em sua história. E para ele a experiência pode sinalizar um conselho para quem quer entrar no ramo: “É uma profissão digna, mas não é fácil, tem que se preparar e estudar muito, estar atualizado, pois as leis mudam quase que diariamente. Recebemos dos clientes tudo aquilo que faz parte da vida deles, às vezes até problemas familiares que deveriam ser resolvidos inicialmente entre eles, mas chegam primeiro ao contador e os conselhos são necessários. “Por isto comparo a nossa profissão a de um padre, pois os segredos são sagrados” – diz.

Ele conta que no começo eram em dois sócios, Laerte Velosa e Orlando Bonifácio, mas hoje tornou-se um escritório familiar e ambos trouxeram seus filhos para trabalhar: Eduardo, filho de Orlando e João que é filho de Laerte. “Eu tenho a vivência, o tempo; os filhos estão na atualidade, às vezes até penso em parar de trabalhar, mas a Edna não me deixa ficar em casa” – dando mostras de que tem muito a ensinar a quem está chegando na profissão.

Laerte de Freitas Velosa e o filho João; Orlando com o filho Eduardo, hoje um escritório bem familiar