Início Histórias que a vida conta

Clodoaldo Medina fala das obras a serem feitas em seu primeiro ano de mandato

Entrevista inédita foi concedida a alunos do IEEBA em 4 de junho de 1974

119
Clodoaldo Medina foi prefeito de Araraquara por dois mandatos

Clodoaldo Medina tinha mais de um ano como prefeito de Araraquara quando concedeu esta entrevista a alunos da 8ª série do 1º grau do IEEBA em 4 de junho de 1974. 

O trabalho foi foi feito pelos estudantes Adil Fernandes Canicoba, Florisval Rodrigues Jr., Geanna Maria Hernandez e Vanessa Serra Bueno para a disciplina OSPB (Organização Social e Política Brasileira), sob a orientação da professora Emery do Carmo Granja Azzoni. 

O material atravessou décadas e foi recuperado pelo historiador Alcyr Azzoni. Clodoaldo Medina nasceu em Recreio/MG em 12 de março de 1930, filho de Raphael de Medina e Lenira Rodrigues Medina, e faleceu em 3 de fevereiro de 2014. 

Medina foi prefeito de Araraquara de 1973 a 1976 e de 1983 a 1988. Também atuou como Presidente da Associação Comercial e Industrial de Araraquara (ACIA), além de ser um dos fundadores do Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomércio).

O que foi que o levou a candidatar-se a prefeito?

Há uma série de fatores que nos levam a nos candidatarmos e isso também foi para mim um desafio, quando achei que já estava na hora de candidatar-me, e não me arrependo, porque é algo fascinante, diferente do que eu fazia antes, no mercado financeiro, no comércio e, a cada dia, gosto mais da prefeitura.

Qual foi o seu maior empreendimento como prefeito?

Procuramos ver o que era mais necessário para a cidade. Primeiro, o problema do abastecimento de água, fazendo reservatórios – até o fim do ano estão prontos e dobrarão o volume atual – 6.500.000. Também há uma obra de perfuração, passamos da rocha, do basalto, e estamos com 144 metros, para a cidade, em convênio com o DAAE, no valor de  500.000.000 (sic). Temos então a resolução de água para o Município.

A criação e implantação do Distrito Industrial, que aqui não se tinha. Já se desapropriou as áreas e já se pode receber indústrias, e implantamos a infraestrutura (água, esgoto, telefone, energia elétrica).

Também há as obras do aeroporto. Era um campo de aviação. Já foi asfaltado o acesso, em convênio com  o Departamento Aeroviário de São Paulo, já preparando as pistas para a pavimentação. Isto dará outra importância ao Município e outra obra de infraestrutura para o seu desenvolvimento.

Também as obras do Hotel Morada do Sol, que dentro de um ano deverão estar concluídas.

Construção e reforma de grupos escolares, como Jardim América, 4 salas, Jardim do Onofre, 4 salas em construção. Assinaremos em julho ou agosto, um convênio com o Fundo Estadual de Construções Escolares, para outras obras serem feitas no setor da educação.

No fim de junho-julho, colocaremos a Biblioteca Municipal, modelo para o interior do Estado. É uma das melhores.

Como se sente como prefeito, depois de um ano de mandato?

Feliz e também sinto que o povo já começa a entender o que se planejou e sinto-me orgulhoso. Quando se gosta de postular um cargo público, deve-se postular, porque às vezes nos encontramos em cargos mais espinhosos.

O que faria para melhorar o nosso comércio e quais atitudes tomaria, em relação ao custo de vida?

Em relação ao custo de vida, nada pode fazer o Município, mas pode incrementar o seu desenvolvimento, criar as condições competitivas, ser mais atuante, e assim reverterá em benefício da população.

Como membro importante do nosso comércio, se sente realizado?

Não, porque nunca o somos totalmente mas, sim, bastante satisfeito, porque estou afastado do comércio, mas continuo no mesmo ritmo que estava quando deixei, então é uma satisfação, porque pude deixar uma equipe que trabalha dentro das normas. O que é igual à prefeitura.

Como anda o processo de industrialização em Araraquara?

Esse processo não pode ser feito a curto prazo e estão sendo criadas as condições para que esse processo deslanche e para isso é que estamos fazendo a implantação no distrito industrial, que é uma obra muito importante e custa muito dinheiro, mas que veremos os lucros mais para a frente, não em minha gestão.

O que pretende fazer para engrandecer ainda mais Araraquara?

Trabalhar e, dentro das minhas limitações, fazer em torno do bem  estar do povo e desenvolvimento do Município. Tenho vários sonhos e obras para realizar, mas não sei se dará tempo.

Há uma obra muito importante: a canalização do Córrego da Servidão, de custo elevadíssimo, que não sei se dará para concluir, mas que ficará encaminhada para o próximo prefeito.