Início Seu nome está na rua

Mulher de fé, Marialice Lia Tedde esteve presente no ensino e na formação da mocidade de sua época

Entre as qualidades que marcavam a personalidade de Marialice, destacam-se os sentimentos religiosos, a sua Fé. Tornou-se uma vencedora nas ações a que se propôs realizar sempre com muito respeito

669
Marialice e Miguel Tedde Neto com o neto Pedro Augusto Lia Tedde Júnior

De tradicional família araraquarense, Marialice Lia Tedde nasceu em 23 de setembro de 1926, filha de Alzira Batelli e Domingos Antônio Lia. Era a primogênita entre os quatro filhos do casal: Lyz Maria, Raphael Luiz e Maria Cecília.

Iniciou seus estudos no Colégio Progresso, indo posteriormente cursar a faculdade em São Paulo, formando-se em Letras pela Faculdade de Letras “Sedes Sapiens”, com habilitação em latim, francês e português.

Após concluir a faculdade, Marialice retornou a Araraquara, vindo a lecionar no Colégio São Bento. Além da fé, Marialice tinha sólida e preciosa formação educacional, cultural, moral, ética e cívica. Tão grandes e tão sólidos valores morais e intelectuais, que se transformaram em impressionante simplicidade, modéstia e atitudes, as mais despretensiosas e exemplares.

Porém, com equilíbrio, bom senso e profundo amor, como professora, procurou sempre, incansavelmente transmitir e formar tais qualidades em seus alunos. Amava lecionar e sentia-se muito bem em sua sala de aula e tinha o dom de transmitir seus conhecimentos a outros. “Marialice tinha e teve sempre presente a verdade de que abaixo da prece, a mais santa utilização da palavra e da voz humana está no ensino e na formação da mocidade”, lembrou o saudoso Miguel Tedde Neto, que foi seu esposo e um dos mais brilhantes advogados da região.

Por sinal, a história de amor de Marialice e Tedde Neto, com quem viria a se casar, teve uma origem pitoresca. Solteiro, Tedde Neto residia na vizinha cidade de Rincão e estudava no EEBA em Araraquara. Ele embarcava no trem em Rincão às 6h e retornava às 18h. Quando chegava em Araraquara, por volta das 6h40, trazia consigo o seu artigo para O Imparcial, onde filava o café da manhã com pão e manteiga.

Posteriormente, com 18 anos, passou a integrar o elenco de artistas de rádio teatro na Cultura, onde também era locutor comercial. Numa das noites em que estava trabalhando na rádio, admirou uma fotografia de Marialice no jornal; uma referência a ela despertou-lhe a atenção. Logo depois, coincidentemente, perdia o emprego no Colégio São Bento.

A jovem professora recém-formada Marialice foi apresentada a Tedde Neto pelo professor Walter Medeiros Mauro, o qual já lhe havia prevenido que não poderia mantê-lo na escola, pois não tinha título de professor. Dr. Walter lhe reiterou: “Tedde, estou certo de que você compreende. A professora (Marialice) tem título para lecionar e, nessas condições, embora estejamos contentes com você, não vamos poder mantê-lo lecionando português. Ela é professora de latim, português e francês”.

Segundo consta, o jovem Tedde Neto encantou-se ainda mais com a bonita professora, pois Marialice, sem dizer uma só palavra, demonstrou preocupação com a situação do rapaz. Em seguida, Tedde Neto perdeu o emprego, mas conquistou uma maravilhosa esposa.

Marialice e Miguel Tedde Neto casaram-se no civil em 4 de setembro de 1952 e, três dias após, o religioso na Capela do Colégio Progresso. Do casamento nasceram os filhos Miguel Lia Tedde, Pedro Augusto Lia Tedde, Maria Isabel Lia Tedde Filpi, Maria Teresa Lia Tedde Nigro e Maria Elisa Tedde Cavalheiro.

Entre as qualidades que marcavam a personalidade de Marialice, destacam-se seus sentimentos religiosos, a sua fé. Fé que sempre a fortaleceu e a amparou, e que jamais permitiu que ela fraquejasse, em duros e desgastantes episódios que enfrentou em sua vida.

Marialice Lia Tedde faleceu em 5 de novembro de 1995, em Araraquara. Foi singular esposa, mãe e cidadã, advogada e professora. Por suas excelsas qualidades e por justa homenagem, “seu nome está na rua” por decreto municipal do prefeito Waldemar De Santi, no Centro de Educação e Recreação (CER), localizado no Jardim Cruzeiro do Sul, que passou a denominar-se Marialice Lia Tedde.

Miguel Tedde Neto e familiares

(publicado originalmente na Revista Comércio, Indústria e Agronegócio)