Início Seu nome está na rua

O Mestre que dedicou sua vida à profissão odontológica

Muito querido por todos, com sua notável sabedoria, era considerado uma “biblioteca odontológica ambulante”. Foi um dos baluartes da Faculdade de Odontologia de Araraquara.

1989
Virgilio de Abranches Quintão e sua esposa Querubina Pires de Moraes

O professor Virgilio de Abranches Quintão era mineiro de Barbacena, onde nasceu a 21 de fevereiro de 1886, falecido a 30 de julho de 1970 nesta cidade. Era farmacêutico pela Universidade de Juiz de Fora e odontólogo do Rio de Janeiro, tendo sido aluno dos eminentes professores Dias de Carvalho e Coelho e Souza, ambos autores de livros dos quais os seus alunos bebiam das preciosas lições dos mestres e na época isto representava o mais avançado e atualizado na área odontógica.

Virgílio de Abranches Quintão foi um aluno aplicado e inteligente, sumamente interessado naquilo que absorvia como aprendizado, angariando por isso a atenção especial do mestre Coelho e Souza, do qual recebeu expressiva homenagem pelo apego ao estudo e brilhante atuação dentre os universitários.

Foto da família do professor Quintão reunida

Em 1924, no mês de maio, ao lado de outros mestres, concorreu para a fundação da Faculdade de Farmácia e Odontologia de Araraquara e foi um dos baluartes da nova instituição, sendo catedrático da Cadeira de Clínica Odontológica até 1956, quando aposentou-se compulsoriamente, não sem antes ter sido diretor da Faculdade de 1939 a 1941.

Foto tendo ao centro o prof. Virgílio de Abranches Quintão, professores da Faculdade de Odontologia de Araraquara

O professor Virgilio de Abranches Quintão ministrou aulas teóricas de grande erudição e ainda era o responsável pelas aulas práticas de todas as disciplinas de atividade profissional, tais como prótese, endodontia, periodontia e de outras matérias relacionadas à formação profissional. Ele, segundo depoimento do não menos culto Mestre prof. Raphael Lia Rolfsen, professor emérito da Faculdade de Farmácia e Odontologia de Araraquara, “era precioso, minucioso, solícito, educado, tolerante, enfim, um mestre inesquecível, verdadeira biblioteca odontológica ambulante e um verdadeiro pai espiritual dos seus alunos”.

Isto justifica plenamente ter sido ele querido e respeitado por todos quanto com ele conviveram.

O professor Virgílio de Abranches Quintão foi indubitavelmente, um dos baluartes da Faculdade de Odontologia da cidade e se ela goza internacionalmente de elevado conceito, tal se deve, em grande parte, à atuação do eminente mestre.

O professor casou-se com dona Querubina Pires de Moraes, no dia 8 de maio de 1915. Ela era paulista de Tietê e o casal teve sete filhos: Helena (casada com Rodrigo de Andrade); Frederico; Elza (casada com Fernando Loreiro); Octávio (casado com Francisco T. Tidei); Cecília; Vera (casada com Osvaldo Cirino Ferrreira) e Marita (divorciada). Deixou 19 netos, 38 bisnetos e 2 tetranetos.

SEU NOME ESTÁ NA RUA

Acima, imagem da avenida na década de 70; abaixo, atualização feita através do Google

A Avenida Professor Virgílio de Abranches Quintão localiza-se entre as Rua Expedicionários do Brasil e Rua Gonçalves Dias, na Vila José Bonifácio.