Início Gente da Nossa Terra

A história de Avelino Cesare Grande: o empreendedor que adotou Araraquara

A bela história de um comerciante que ousado, soube enfrentar os desafios e fazer da sua loja na Avenida Sete de Setembro uma história pioneira de progresso no bairro do Carmo

852
Fachada da loja Casa Grande – Materiais para Construção Ltda, inaugurada no Bairro do Carmo

Agraciado em 1986 pela Associação Comercial e Industrial de Araraquara e pelo Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara com o título de Membro Emérito do Comércio de Araraquara, Avelino Cezare Grande, falecido em maio de 1990 aos 80 anos, foi um dos mais representativos empreendedores da cidade.

Em 2014, por conta da lei número 8.315, Avelino passou a dar nome a um complexo viário localizado na confluência da Rua Lilia Elisa Eberle com a Avenida Marginal paralela à Rodovia Washington Luís, nas proximidades do loteamento Jardim Salto Grande I. A placa foi colocada há cerca de três meses. A iniciativa da homenagem partiu de um de seus quatro filhos, Laércio Grilli Grande, 78 anos, que cuidou de todo o trâmite.

O casal Angelina Grilli Grande e Avelino Cezare Grande

Filho de Caetano Grande e Luzia Grande, imigrantes italianos, Avelino Cezare Grande nasceu em 2 de julho de 1909 em Ribeirão Bonito/SP. A família, de oito irmãos (cinco homens e três mulheres), era conhecida como ‘Os Grande’.

Desde que chegou na cidade, a família passou a se dedicar ao ramo madeireiro e, para tanto, mantinha uma indústria de transformação de madeira vinda do norte do Paraná. A escolaridade de Avelino começou aos 7 anos de idade no Grupo Escolar Coronel Pinto Ferraz.

Avelino Cezare Grande; ao lado a família reunida: Laércio, Dona Angelina, Sergio, Seo Avelino, Fábio e Avelino Jr.

Após a conclusão do curso Primário, dividia seu tempo entre o trabalho e o estudo da música. A cultura era muito presente na família, que fazia parte de uma jazz band na década de 30 ao lado de outros moradores de Ribeirão Bonito.

Dedicado aos estudos, porém sempre trabalhando, concluiu o curso de Guarda Livros em São Carlos. O curso hoje equivale ao de Contabilidade. Ele recebeu seu diploma em junho de 1932, sendo depois registrado no Conselho de Contabilidade do Estado de São Paulo sob o número 19.664.

Aos 26 anos, em 25 de janeiro de 1935, casou-se com a também filha de imigrantes italianos Angelina Grilli, também de Ribeirão Bonito. Dessa união, nasceram quatro filhos homens: Fábio, Laércio, Sérgio e Avelino Jr. Todos estão vivos e residem em Araraquara.

Laércio segura com orgulho o retrato do pai, que faleceu na década de 90

Interessado em atividades públicas, ingressou na política em 1948, tornando-se vereador em Ribeirão Bonito pelo Partido Social Democrata (PSD). Durante seu exercício de mandato na Câmara da cidade, ocupou o cargo de Secretário da Mesa Diretora até o ano de 1951.

Foi neste ano que resolveu deixar a sociedade com seu pai na madeireira, mudando para Araraquara em 1952. Passou a viver na Rua João Gurgel, no Carmo. Foi o começo de uma nova etapa, ilustrada pela inauguração de uma loja para materiais para construção, batizada de ‘Casa Grande – Materiais para Construção.

Adaptado ao Carmo, participou ativamente de realizações voltadas para o desenvolvimento do bairro, como a coordernação da construção da parte final da igreja, além da fundação da Sociedade Amigos do Carmo (SAC), entidade filantrópica formada por moradores.

Em 1978, Junto aos seus filhos Laércio e Avelino Jr, fundou a empresa “Laércio Grilli Grande e Cia Ltda”, que comercializava produtos ‘Skol’ na cidade e região. Depois, em 1982, deixou seus negócios apenas nas mãos dos filhos.

O casal Avelino e Angelina permaneceu unido por 46 anos, até o dia 18 de setembro de 1981, quando Angelina veio a falecer. Sozinho, Avelino continuou morando no mesmo lugar até sua morte, em 20 maio de 1990, aos 80 anos.